Um blog do Travellerspoint

Railay Beach X Ko Phi Phi

sunny 38 °C

Bom dia sábado! E lá vamos nós pra nova aventura no mar da Tailândia. Tomamos café, fizemos check out e na porta do hotel era o ponto de encontro pra pegar o ferry. Nosso hotel era muito bom. Tirando o fato do wifi não pegar tão bem no quarto, de resto estava tudo ótimo. Piscina boa, café da manhã bom, o bangalô que a gente ficou era super espaçoso. O staff, como em toda Tailândia (salvo raras exceções) não fala inglês muito bem, é difícil de entender, mas são super solícitos. O hotel fica a 5 minutos andando de Railay West e de Phra Nang. Só Ton Sai Bay fica mais longe e nós não fomos (muita trilha no caminho). Resumindo, eu recomendo o hotel Sunrise Tropical Resort!

Quando chamados, fomos até o píer flutuante puxando nossas malas de rodinha. Gente, quando eu digo flutuante é cada quadradinho flutuando num compasso. Não sei se dá pra entender, mas é tenso! Aí fomos nos dividindo em Long Tails. Ficamos no segundo de vários. O nosso barqueiro não ajudou muito a colocar as malas ali, ou melhor, não ajudou nada. Enfim, entramos no barquinho e rumo ao ferry que estava mar adentro. E a saída do Long Tail? Os caras tiraram as malas pelo menos mas era mó escalada cara. Muito alto! Pior que Rosana sentiu o joelho na subida. Torcendo pra não ser grave. Quando a gente mostra fotos da viagem ninguém vê esses perrengues que a gente passa, hahaha. Vai Rosana!!!!!

31A3D8D99EEB88392482C89D530F64BE.jpeg90_31AB8645CCE9D443A5B5A2D2612B1E40.jpeg31C1CC2DA86C2C9A480873C14079E32B.jpeg

Na chegada um bellboy nos esperava com um carrinho pra levar as malas. Nessa parte de Phi Phi não tem carro. No meio do caminho como Rosana tava baqueada o cara falou pra ela sentar no carrinho e levou ela junto. A bichinha tava o pó da rabiola com o joelho ferrado. Deixamos as coisas no hotel e fomos pra rua. Era impossível não pensar no Tsunami que devastou essa ilha em 2004. Nosso hotel é tipo vila, ou seja, plano, e fica no nível do mar. Se isso acontecesse não tem muito o que fazer. A orientação é ir pra parte alta ou pra dentro da ilha. A parte alta é longe e uma praia é muito próxima da outra praia, ou seja, a parte de dentro é muito estreita. Deve ter varrido tudo aqui. Bom, pra que pensar nisso né? O que é meu tá guardado.

20BCC70A9C10CC70A031CFDDF5F89AA0.jpeg20C67B71002736361B18A44AB3C23E05.jpeg90_20D0ACE49843AB4289F5F036E5187677.jpeg

Paramos na lojinha de passeios que tinha ar condicionado, haha. Sempre evitando ver esse passeios no hotel, sai mais caro. O passeio de Hong Island, por exemplo, nós pagamos 1000 bahts enquanto os outros brasileiros que compraram em seus hotéis pagaram 1500. Fechamos o tour de 1 dia (6 horas) pra amanhã no estilo private. Ou seja, um barco só pra gente. Nada daquela chinesada fumando e jogando cigarro no mar, ou pior, sentando em cima da nossa bolsa.... Grrrrrr... Pela bagatela de 3000 bahts o barco é nosso, faz o roteiro que a gente quiser, parando o tempo que a gente quiser nos locais dentro dessas 6h. E o melhor, escolhemos a hora de sair. O importante é chegar em Maya Bay antes das 10h, que é quando partem as excursões pra lotar as ilhas. Amanhã às 8h nós saímos. Fomos almoçar na rua. Paramos em um restaurante razoável. A comida estava um pouquinho apimentada. Mas roubei o molho agridoce da Rosana e ficou melhor.

20D68CA4EC9710CC215FE3F6B67042CF.jpeg20DD30ABDADE175C4C15E58B4617BA82.jpeg

Voltamos e pegamos um Long Tail até Long Beach. Eram 30 minutos de caminhada ou 5 minutos de barco. Ficamos com a segunda opção. Por 100 bahts por pessoa fomos passar a tarde de molho naquelas águas quentes e transparentes. Se eu gostei? Veja você mesmo.

21232E0294496DFDE66F5E00DA9A8A6C.jpeg2129011A0E21B4EBE13787C816B4FC0E.jpeg90_212F2E72FD78AD067C4704D37544B845.jpeg212D8C9AE1F68BF80C6F66FBC20B99FB.jpeg2130DFA4DA0BF7A2C6F7CFE81341F271.jpeg213CC11E049BF8A55A201F71D5C6AF5C.jpeg213A24CDE225523B6F9D6514D47408D1.jpeg

Olha, pelo pouco tempo que estamos aqui já posso dizer isso. Estou apaixonada por Ko Phi Phi. É mais muvucada, mais cheia que Railay, mas é um ambiente tão gostoso. E tem espaço pra todo tipo de gente. Gente que quer paz, gente mais alternativa, gente que quer movimento mas hotel sossegado, tipo eu. Depois de tomar um banho fomos em busca do Viewpoint. Andamos um pedaço até passarmos por uma placa que indicava o viewpoint a 3500m. Oi? Clima úmido, calor, propício pra uma caminhada. Mas Rosana me animou, disse que se fôssemos devagar dava. Lembrando que ela estava com o joelho estrupiado. E fomos indo.... Mas não ía ser tão fácil assim, afinal, pra se ter uma visão panorâmica é necessário ir pro alto, certo? E vocês acham que tinha escada rolante? Era uma subida atrás da outra, uma mais íngreme que a outra, rapaz.... Eu olhava pra Rosana subindo na raça e continuávamos. Saímos do asfalto e entramos numa estrada de terra, no meio de umas vilas, a gente suando.... Passamos por uma gangue de macacos e tome subida. Sapato inapropriado, subimos de chinelo. Mas chegamos!!!!! Meu Pai do Céu!!!!! Chegamos!!!!! Tem que pagar 30 bahts, mas vale a pena, e bota pena nisso. Foram 3,5 km de subida num calor escaldante mas a natureza recompensa!!!!

214EC149CA120D48DA41A365C7118306.jpeg90_21484169ADDD2BDF136FD067F4339299.jpeg90_215519879825E85DCC784EF6C43317D7.jpeg2163A3D0AD348A52BE514E2D8832DAAB.jpeg216511A2DC9979EE35C3040179334166.jpeg216672EB916CED254FC2422DF7EE10CA.jpeg2167E89CF43DBA6E90B1BC55B8435D95.jpeg90_216D3C26BDE1307CF089343D441AE1C1.jpeg

Descemos pelo outro lado e foi super rápido, mas eram escadas. Se fosse pra subir por ali eu teria desistido. Acabou que fizemos o melhor, subir pelas ladeiras e descer pelas escadas. Fomos raçudas pra caramba, mais ainda Rosana que teve que lidar com o joelho bichado. Foi um pouco programa de índio pro nosso padrão, haha. Mas foi ótimo vencer o desafio! Na parte de Ton Sai entramos nas ruelas que estavam movimentadas. Tinha de tudo, lojinhas, restaurantes, bares, adolescentes festeiros, gente, muita gente. Sim, estou apaixonada por Phi Phi!

90_217686959AFCAA41B1B9F121B789E2EB.jpeg217B711F9C8EC7648B1902B5CBED4643.jpeg90_218209E6E2FEA952EC565DEFBB8A4C85.jpeg

Publicado por Akemi Nomura 1:15 Arquivado em Tailândia Comentários (0)

Railay Beach & 7 islands

sunny 38 °C

Bom diaaa!!!!! Hoje não tem pressa de levantar porque o passeio é só à tarde. Ficaram massa as fotos de ontem, né? Foi muito bom o passeio mesmo. Fui dar uma sondada de como faz pra chegar em Phra Nang. Lembra que eu expliquei ontem? Railay tem quatro praias: Railay East, Railay West, Phra Nang e Ton Sai Beach. Fomos tomar café e fomos conhecer Phra Nang. Pra quem está em Railay East é só ir sentido sul e no final virar à direita. O caminho é parte embaixo das cavernas da imensa pedra deste lado da península. As estalactites moldam a paisagem.

D76B619FBD03EE42BAADDBA52F811CDD.jpeg90_D7704E9DFF78D8F2AA9E968476D8CD0B.jpeg180_D76D76EEE09F92913DBBD3D4C459AF28.jpeg

Phra Nang é a deusa do amor. O amor em todos os sentidos. Essa praia é dedicada a ela. Num canto da praia tem duas grutas com um altar em cada uma. Lá dentro, vários objetos de oferta (eu acho) bem, digamos assim, sugestivos. Como esse post é um post de família, não vou postar foto do que tinha lá dentro. Mentira, vou sim, hahahahaha.

D77ECF11F956201B3FF4675C10B20367.jpeg90_D78792CD9445019ACA479EC79B3BECAD.jpeg90_D78B2BA6CDFBD6D4E4B5837C98957096.jpeg

Nessa parte da praia, o mar verde esmeralda transparente contrastava com a rocha avermelhada. Estava cedo ainda, não tinha quase ninguém na praia. Tinha sombra nessa região o que deixou o lugar bem agradável apesar do calor. Do lado direito uma enorme rocha no mar dava o charme pro local. Phra Nang é linda demais!!!!!

D794AD4CB308F07970CBE1418A1AF839.jpeg180_D796229C0EB8E863BFB00638C3C7C57D.jpeg180_D79765140F833E0C6D373F3FC633E48C.jpegD7987CA2A9860E95AADA0390665F5243.jpegD79981D69A28C8C0DA10AFFDD76E742F.jpegD79B64BFDBB3FC6F47C64FD7195FA0AE.jpeg

Adoro essa foro do pé gente. Mas vocês não tem noção da falta de glamour que foi tirar essa foto, hahahahaha.

270_D79A4EA9F799EA3363EAB51013C4AC42.jpeg

Vários barcos chegaram e a praia ficou lotada. A gente boiando na água e aquele monte de gente pra lá e pra cá. Tivemos uns cinco minutos de paz. Cerca de 1h depois os barcos foram embora e ficou mais sossegado. Quando deu umas 11h30 resolvemos voltar pro hotel pra tomar uma ducha, almoçar e descansar pro passeio das 14h. No caminho de volta tinham vários macacos. Deviam estar todos dormindo na ida, hahaha. Mas lá tem vários avisos pra não alimentar os macacos. Inclusive tem multa de 500

90_EAC4C6EA986E71EC553704A1969B0AE2.jpeg90_EAC858E3AD97F0802B71F16BC38DD785.jpeg90_EACAD1F0A06FDFB86F22D247D9A15DB0.jpeg

Almoçamos no hotel mesmo e às 14h estávamos no píer. Um calor, mas um calor.... Chegou nosso Long Tail. Começou mal já que não tinha lugar na sombra. O jeito foi colocar a canga nas costas pra diminuir o estrago. Escolhemos o passeio 7 ilhas. Basicamente era se jogar nesse marzão. Tinha ilha que era só aquela pedra enorme e mergulhávamos com snorkel. Outras tinham praia. Outras só passava, nem parava. O mar não estava tão translúcido pra ver peixinhos. Mas em uma ou duas paradas deu pra ver alguns Nemos. Muito lindinhos.... A parada mais top foi sem dúvida Tup Island. Ali a gente paga 200 bahts de taxa. O mar era perfeito, transparente. Compensou o desconforto do barco. A parada para o pôr do sol foi em Phra Nang, a mesma praia que fomos de manhã. Hoje o dia não colaborou com o pôr do sol como ontem. Algumas nuvens atrapalharam um pouco. Nós jantamos ali mesmo uma janta bem simples. Rolava um dedão alheio no peixe, enfim, desapega, hahaha. O pôr do sol de Phra Nang é bem cotado nos blogs da vida. Por fim, saímos de lá e fomos quase numa caverna. Era o mergulho com os plânctons. Quando a gente mexia na água os planctons brilhavam. O mar ficava cheio de luzinhas. Eu fiquei que nem uma doida mexendo no mar pra ver as luzinhas e não saiu nenhuma foto, hahahaha. Estava mega escuro, eu mal via quem estava do meu lado, medaaaaa.... Tirando as chinesas mal educadas (uma sapa chegou a jogar a bituca de cigarro no mar e eu fui lá pegar e colocar de volta no barco), o desconforto do barco e talvez uma ou duas paradas desnecessárias, acho que valeu a pena. Os caras do barco foram muito esforçados e solícitos, mergulhavam junto, procuravam o Nemo (adorei o trocadilho, haha). Acho que gostei mais do passeio de ontem. Hoje foi muito cansativo. Mas Tup Island e o mergulho noturno fez valer a pena.

180_D7A97FDBCD4451AD857FC6D3D0B16F47.jpegD7AB8C5D9924FAB2EBAC198181766E38.jpegD7AE6A5EDB1D93A1A0FC8A68E68DB00B.jpeg90_D7AFB6DBAC0FB19A46BD00A56D367C78.jpeg90_D7B14B4FA7D15ECA36C4E46BCF0BE971.jpeg90_D7B3C1A8D7B695458629B9454E56201F.jpeg
D7D6DA8D03AD401703212809F8E2002C.jpeg
F0B76D7FBE13BDCEC31C0865116D6E39.jpegF0B934BEC03B89E1E50BA541A059D245.jpegF0B83626C6AFBAF8493A1627FAA68F81.jpegF0BA2448CDE74FDD0491C0D094CDFAD2.jpegF0BC3D600A5182D5F3B73E9A45B2E76E.jpegF0BD4CCB9C92507019F7DFD93FDE883B.jpeg

Procurando Nemo

D7DBD234AFE095CB20CAE6F263AAD7AE.jpegD7DF881CCE237CD0633DD84A36F71CC4.jpeg
F0BB1CE4E0912CF14023D707B0FAE8B5.jpegF0AABD09ED6918A668CD04D164F68ABA.jpeg

Tup Island

D7B70747B1026F2863E190351F73A505.jpegD7B90E95C8D070E200938F98740C74E4.jpeg180_D7BAEDCDF5C2FB3C5096D6C402906353.jpegD7BD499CBBC45CB8AA460C03DBCF171D.jpeg180_D7BEACC7E0AF9C33A00B00B786A9B7C1.jpegD7C37378E208BCD9CF3F305627C647E9.jpeg180_D7C580F5D7380C534FDA28AEE37BB1EC.jpeg

Fim de tarde em Phra Nang

90_D7E3F9F0E44A92C0FEE512E26C51F1B0.jpegD7E7387AEA6282ABC10FF541D143E78A.jpegD7EBD4F6B5A78730946290F8F8F702DA.jpegD7F6A426E19C906021596E2CFF33677D.jpeg
F0A75880C680CC12A6DE8A2CC31FCD2F.jpegF0B6B378E7075FA1ABAAED8F260DE98E.jpeg

Mergulho noturno

Chegamos no píer às 20h. O bom é que já era do lado do hotel. Fomos tomar banho e comprar a passagem pra Ko Phi Phi. Só existe um horário de ferry às 9h45 am. O ticket sai 400 bahts e temos que ir de Long Tail até o ferry. E lá vamos nós no barquinho com nossas malinhas de rodinha, hahaha. A gente planejou muiiiiito bem esse roteiro, né Rosana? Ahahahahahahaha. Tem lugar que dependendo do horário não dá pra chegar em outra ilha. Tipo, daqui pra Ko Phi Phi a gente descobriu aqui que só tinha um horário de ferry. Perdeu, só no outro dia. Cara, tá dando tudo muito certo. Acho que só faria diferente ter vindo de manhã de Chiang Mai. De resto... Nunca imaginei que viria pra Tailândia tão desencanada. Tá muito maneiro!!!!

Publicado por Akemi Nomura 19:00 Arquivado em Tailândia Comentários (0)

Railay Beach & Hong Islands

sunny 37 °C

Bom dia pessoas! Ontem eu fiquei tão tensa com a chegada em Railay que nem falei muito daqui. De uns anos pra cá Railay vem sendo uma opção à muvucada Phuket. Railay Beach fica na província de Krabi. A chegada aqui é de barco apenas. Aí vicê me pergunta: mas Railay é uma ilha? Não! Railay Beach fica em uma península de Krabi. Mas não dá pra chegar de carro? Não, não dá. Li num blog que as montanhas que separam Railay Beach da província de Krabi tem formação calcária, o que impossibilita a passagem de veículos. Não fui atrás da veracidade dessa história, mas achei bem plausível. Enfim, pra chegar em Railay Beach só de barco. Chegar de Long Tail então é o canal! Ahahahaha. Tem gente que opta por ficar em Krabi Town, mas o top da balada é ficar aqui em Railay.

Tem uma região em Krabi conhecida como Ao Nang. É mais barato ficar hospedado lá, atrai muita gente alternativa e a praia não é tão bonita assim, dizem alguns blogs. Atrai muita gente também porque dá pra chegar de carro. Também acho que não é o canal. Ficar hospedado em Railay é muito barato para os brasileiros mesmo em tempos de dólar a R$4. Então abre a carteira e cria coragem pra entrar num Long Tail com mala, hahaha. Vem pra Railay!

Quando se imagina uma praia da Tailândia sempre vem à cabeça aquelas formações rochosas. É realmente marcante e o que mais vai se ver por aqui. Essa característica atrai muita gente adepta às escaladas. Railay se divide em quatro "praias": Railay West, Railay East, Pranang Beach e Ton Sai Bay Beach.

Railay East não é propriamente uma praia. Aqui existe um mangue na frente o que torna a paisagem, no mínimo, diferente. É uma região que tem vários resorts e onde ancoram barcos que vem de Krabi Town. Depois das 15h a maré começa a baixar e os barcos não chegam mais perto, tem que vir de trator mesmo, hahaha. Aqui nessa área os bares funcionam até tarde. É aqui que fica nosso resort.

A35D2B8FBE0392DD9B1C28DB99CFE1B6.jpeg

Nosso passeio estava marcado para às 9h em Railay West. Foi nosso primeiro contato com a imagem de uma praia tailandesa. O mar com seus barquinhos Long Tail e as enormes rochas no fundo. Existem muitos resorts desse lado estilo "pé na areia". De acordo com alguns blogs essa região não é muito movimentada depois das 20h, tirando um ou outro barzinho da Walk Street.

A366E2B9F851CAB240AD81BFCE816A7C.jpegA369B7D100CEA6B4947E00CB4B31ADB4.jpegA36C408EB68D77AF18759162B3D1D02E.jpeg180_A36E22A6EC377EB6C2A21B4C2DA186B5.jpeg

Embarcamos com um pouquinho de atraso e uma coincidência colocou no mesmo banco sete brasileiros. E fomos pro passeio de "Hong Islands". Nesse passeio o barco faz quatro paradas, sendo 3 pra mergulho. A primeira parada foi numa ilha que eu não entendi o nome.... Hahahaha... A água não é tão clara mas o tom verde esmeralda e as rochas em volta dão o toque especial. Ah, a água é quentinha... :-)

A37C19C99F007C2D348BF09C3EE26731.jpeg180_A37E0D29F8F36D1FA043F6FB00715CAC.jpegA3825CD4E491DCC1D3A7D3C4AEBD8AC7.jpeg180_A37F7516B02C6F49C6FB727C38132E0D.jpegA3849DE4D9ACA3E59C2F03D79B562626.jpegA385B6669BA36F150B36E430E6A12080.jpegA386C20DB6FEE97D0F8381C38DBD5D62.jpegA3882AB3D54872062F9CB66A17C12F78.jpeg

Segunda parada: Paradise Island. Essa é uma região para snorkel. A água é meio turva, o que não colabora muito pra ver peixinhos. Mas era engraçado ver eles se amontoando em cima da câmera. Só queria ficar de molho naquela água perfeita. Uma das melhores no quesito temperatura. Claro que formamos uma rodinha de brasileiros conversando até a tia chamar pra ir embora...

A3997C1BE988DA955B02F394488ED5E6.jpeg180_A39AF71C02D5BA45793E51B26CECA844.jpegA39C4EA6ABFC0A2192CE949C740F678E.jpegA39D65ACCD0CAB7770F69F914DBFD6CD.jpeg
90_A3D9EB5CD9ED61201326BD788CAA74AE.jpeg

Terceira parada: Hong Lagoon. Essa sem mergulho, só uma volta de barco mesmo. Essa lagoa fica no meio da ilha. Parece que são dois acessos no meio daqueles paredões rochosos. Nessa hora rola um fight por uma foto.

90_A3A9E481056E44170258823DFCBA9B2F.jpegA3ACA87994F162CE5000DC45C5B68700.jpegA3AEC62CF5E4CB9FAD5CD8F891351A5B.jpegA3B04BBFDD1830F3CBD9C5FD92CD0F72.jpeg
180_A3B9C82B06ECDE7711165A978C1D8F8A.jpeg
90_A3DAFA85B211665416E1E20E955C7672.jpeg

Quarta parada e cereja do bolo: Hong Island propriamente dita. Na chegada tem que pagar uma taxa de 300 bahts. É uma taxa ambiental, manja? Aí você vai se equilibrando naquela plataforma maluca até terra firme. Já era hora do almoço e serviram pro nosso grupo arroz, uma coxa de frango, um negócio de legumes e um outro frango moído que estava apimentado até a alma. Teste pro estômago, hahahaha. Depois do almoço, meus caros, fui ter o que eu merecia: um mar maravilhoso e um bom bate papo com ótimas pessoas. Sério, pra que mais?

A3C41439A8CA86DE696603E6CD9894D6.jpegA3C6474DCBED4D3A837A17C98A91CC98.jpegA3C8B3E0FB6C9ACE3A5F815647676F3D.jpeg90_A3CB0940F856EDC345D775504CE917B3.jpeg

O mar de Hong Island.

A3E9BDE4B7802E347B35DC18C3E8190A.jpegA3EB04C10A7B2E8E88F4BF6732F2A250.jpegA3ECBD38A29065761E0CCC1C9BDDD62D.jpegA3EDE9650967CE267AD94353F483A618.jpeg180_A3E846D79E1829C3902F1139E2E884AE.jpeg

Às 14h a gente começou o caminho de volta. Por volta de 15h chegamos em Railay West e fomos pro hotel, pra piscina. Estava relativamente fresco esse horário. A maré tinha subido e tinha dado um outro visual pra frente do hotel. Bora curtir um pouco a piscina.

B88EA7200F304A219094999825F39F6B.jpeg
B89190AFF59BA11F616765556BB4AEFA.jpeg
B89413F1B734DFC0C7318C014BFD5FCA.jpeg

Depois de ficar de boa na piscina, fomos tomar banho pra ver o pôr do sol em Railey West. Começaram a aparecer uns macacos assassinos que deixavam frutas caírem das árvores (parecia manga) e fazia mó barulhão no chão. Na cabeça não deve ser legal... Fomos andando no meio dos resorts até o outro lado. Daí foi só escolher um restaurante, pedir uns aperitivos e esperar o espetáculo do pôr do sol começar. Ventava bastante e estava um fim de tarde bem agradável. Mais um dia produtivo na Tailândia!

A3F99ADEC0602244FF2BB00B1BB43D80.jpegA3FC49F1002B3DD4FA2E2726D982EA4D.jpegA3FD6B05C463A92142FCF5F2C9755C49.jpegA3FE78A8A9C7D9FD0167A391F5BC80C3.jpegA3FFAE2FE565EFB32177E0BBE0F4691E.jpeg

Na saída passamos pelo Walk Street olhando lojinhas e resolvemos fazer um caminho diferente. No meio do caminho tinham vários restaurantes bem rústicos no meio da floresta (sei lá se é uma floresta, mas parece). Aí Rosana resolveu parar pra fazer massagem e eu fui ver se a lojinha de prata estava aberta. Como não estava voltei pro hotel. Meu, mó tenso uma parte do caminho. No meio do nada, tudo escuro. Sorte que tinha visto duas pessoas saindo dali e mais duas iam no mesmo sentido que eu. Grudei nelas e fui. Ufa! Aproveitei e já vi o esquema do ferry pra Ko Phi Phi. Tudo resolvido, deixa eu voltar pro hotel porque esse dia de praia deu soninho....

Lição do dia: "Não colecione bens, colecione experiências".

large_270_A40B4F5CF09C9BC664D5644B1FC129AF.jpeg

Publicado por Akemi Nomura 22:19 Arquivado em Tailândia Comentários (3)

Chiang Mai x Railay Beach

sunny 40 °C

Alô você que continua acordando às 4h da manhã... Mas apagou pouco antes das 22h. Mas é bom pra terminar o post de cabeça descansada. Acabou que ontem fizemos mais coisas do que planejamos e poderíamos ter pegado o voo das 8h. Mas como já estava comprado para às 16h25, paciência. Foi bom também resolver o transfer de Krabi porque, pelo que deu a entender, em Railay só se chega de barco.

Pra não ficarmos longe do centro resolvemos bater perna na cidade antiga visitando alguns templos. Saímos por volta das 8h30 quando o sol tava fresquinho, tava uns 36 graus. E tinham vários templos, templinhos e templões no meio do caminho. Entramos em alguns, quer ver?

Wat Inthakhin Sadue Muang
8480D05AD95873F5A0DD4A3A1ECED1F0.jpeg90_847DA1BAD023E270413E8C303D5759B9.jpeg

Wat Duang Dee
90_849B575CD7BC2D9C0C005254FFFBE5D0.jpeg90_849DD46EBD951C30B67DAC3280B1D46C.jpeg

Wat Panping
84AB586ADF6253B5C7E2C0E33BFF5409.jpeg84AE5249D4638E2AE5F21C422F28684C.jpeg84B0812EDF94249BF0A2EDCD05A1891A.jpeg84B2854DBB16CF9C8B379B945CD3D483.jpeg84B47A04047FC09B8DACB82B54569CC7.jpeg84B70C52007819C279CAF7F1BF38B201.jpeg84BA3E51AA065C1E86038CB281FDC200.jpeg84BE7E37AC7C12D3442FDB82C3669109.jpeg90_84C13212E00EFE97CA654B2B6A8AD229.jpeg84C350B9AE6F6806EDEDC756B48A5683.jpeg

Wat Lam Chang
90_84CE7F75B73D28C0323856CAE092431B.jpeg90_84D1639AB322D69E00D02D95B654007C.jpeg90_84D49E87D1CA702141E41D7A7E591D7D.jpeg

Wat Chiang Mai
90_84E286ACACDBE2BE7033EE698DB37964.jpeg84E4CA60BFEE60F1549911AF8D1F8FD1.jpeg90_84E6AC89B0E729E4A496F53D08795254.jpeg90_84E98164D07B371953FFAD2F36FE8F87.jpeg84ED2E2704DBB750EACE4A5A941FF709.jpeg84EF4B52A548E7CCF4589DFBAC53B212.jpeg90_84F62D5CA8908D6C14194E19B44F74B0.jpeg

Tá bom pra vocês? Pra gente tá ótimo porque o sol está acabando com o resto de raciocínio que nos resta. A gente queria voltar pro hotel e tomar um banho antes do check out. Ainda demos uma enrolada pra aproveitar o ar condicionado o máximo possível. Almoçamos num restaurante chinês perto do hotel e pedimos um táxi pro aeroporto. Pra entrar no aeroporto de Chiang Mai tem que passar por raio x. Não lembro se fiz essa observação antes mas, em Bangkok, até pra entrar no metrô ou shopping tem que passar por raio x. Tempos difíceis vive a humanidade.

Faltava muito tempo pro voo ainda. Só nos restou encostar num canto e esperar.... Enquanto isso vou falar do hotel. Nós ficamos no 99 The Gallery Hotel. O hotel fica dentro da cidade antiga. A localização é boa, fica super perto da rua onde ocorre o Sunday Market e dos principais templos da cidade. Mesmo a Night Market não fica longe. O calor que torna o caminho meio difícil. O staff do hotel é super gentil. Tem café da manhã bem servido, com as peculiaridades de um café da manhã asiático. Por favor, não me venham reclamar que não serve queijo no café. Li isso num review do Tripadvisor e não consigo acreditar de como tem gente chata nesse mundo. Ainda bem que esse tipo de gente não viaja comigo, hahaha. O quarto era bom, cama um pouco dura pro meu gosto, mas ok. Apesar de ter um bom espaço, faltava lugar pra colocar a mala. Mas nada grave, chuta pra baixo da cama e segue a vida. Tem um piscina interna também. Enfim, gostei e recomendo.

Acho que o voo saiu no horário. Foram 2h de voo até Krabi. Na chegada o motorista do hotel estava nos esperando. Aí..... Espera que não dá pra falar agora.... Gezuis!!!!!! Caracas, não acredito nisso. Onde eu fui me meter?!?!?!? Socorro!!!!!! Não acredito nisso.... Ufa, chegamos!!!!! Meeeeuuuuuuu, o que foi isso? Ainda bem que pagamos o transfer, ia ser tenso fazer isso tudo na raça. Vou contar pra vocês, senta aí...

O voo chegou no aeroporto de Krabi Town. Pegamos as malas, tudo certo. Lá fora o motorista nos aguardava com uma plaquinha. O cara dirigia loucamente gente, vocês não acreditam. Corta daqui, corta dali, deu uma freada brusca.... Sinal vermelho e o cara acelerando... Sério, fechei o olho! Acabamos de chegar completamente zen de Chiang Mai pra essa loucura... Mas foi só a primeira etapa. Descemos num lugar meio esquisito e embarcamos num carrinho de golfe. Nós, nossas malas e o segundo motorista. Essa foi a parte light. Nos dirigimos por um píer e nos demos conta da próxima etapa. Sabe aqueles barquinhos tradicionais da Tailândia? Vira e mexe aparece nas imagens das praias? Pois é, chama long tail e é num deles que a gente vai. E a gente olhava pra frente e via aquele marzão numa escuridão só. Lá vão os caras com nossas malas de rodinha, hahahaha. E no mesmo barco ia um casal com suas mochilas contrastando com nossas bolsas, hahahaha. E vamos por essa escuridão de mar. Uma pena não termos vindo de dia, a vista deve ser linda. De noite não víamos nada praticamente. Após dar uma volta começamos as ver as luzinhas de Railay Beach (pronuncia Railé). Bom, agora o barco vai parar no píer do hotel, certo? Errado! Quando a gente olha pra frente tinha um trator empurrando uma plataforma pequena até que nos demos conta de que era pra gente. A maré estava baixa e os barcos não chegavam até o hotel. Gente, e lá vamos nós pra plataforma pra sermos puxados por um trator que estava parcialmente dentro da água. Perceberam como é simples chegar em Railay? Contaram quantos meios de transporte foram? E alguém ainda acha que minha vida é fácil? Só tem glamour? Fácil falar de mim, difícil é ser eu, hahahahahaha. Brincadeirinha!!!!

84F7B6BBF890CCDA9388642F87D82723.jpeg84F9939CF2F41A64109C2E78BB611630.jpeg90_84FB70D90CC3A9612328C0C4A9270DEA.jpeg84FD0A70CC07C7BD2EFF517F686FC656.jpeg

Chegamos no Sunrise Tropical Resort. Ao contrário do que a galera reclama no Tripadvisor (dizem que o pessoal do hotel não fala inglês), o staff fala inglês como todo tailandês que fala inglês. É difícil de entender, mas falam. E são gentis também, diferente do povo chato que só reclama no Tripadvisor. Saímos pelas beiras pra bater perna. Tem mais resorts desse lado e tem também uma área meio alternativa pros "bicho grilo". No caminho fechamos os passeios que vamos fazer em Krabi e voltamos pro hotel pra jantar. Sempre lembrando que essa parte sul da Tailândia foi arrasada no Tsunami de 2004, o que era de se imaginar encontrar placas indicativas de "em caso de terremoto fuja para as montanhas".

84FF3FD1E62FBE42B8CD917BF8BDF225.jpeg90_85013F6D006A6ED0CBCB584FD1279744.jpeg85033844CD1686CC05FDAE2B943C3117.jpeg90_85057510AD62715F65082A7C1128ACB5.jpeg8508CD8298659BD8292FCEF40C711396.jpeg

Publicado por Akemi Nomura 16:33 Arquivado em Tailândia Comentários (1)

Chiang Mai

sunny 40 °C

Bom dia!!!!! Só pra vocês se localizarem, achei esse mapinha na internet pra mostrar onde fica Chiang Mai. Fica bem no norte a cerca de 800km de Bangkok. Chiang Mai tem muito passeio de aventura também pra quem gosta e tem mais dias aqui.

1E7179FC052AE1EF011E473F85D0A6D4.png

Outra coisa, eu estava bem curiosa sobre o porque da posição deitada ou reclinada do Buda. Tem tanta, mas tanta, escultura do Buda deitado, deveria ter um motivo. Achei algumas páginas na internet com as seguintes explicações, inclusive para outras posturas do Buda (clique em cima pra direcionar para página): "É uma referência aos últimos momentos da vida do Buda"; "... geralmente representa a passagem final para o nirvana, que é o estado de vazio desejado por algumas seitas Budistas"; "É uma referência aos últimos momentos de vida de Buda."...

Nosso hotel aqui em Chiang Mai fica na cidade velha. Próxima da antiga Birmânia (hoje Myanmar), a cidade era sempre ameaçada de invasão pelos birmaneses e pelos mongóis. Pra evitar isso o rei decidiu erguer uma muralha em volta da cidade. Não deu muito certo porque os birmaneses chegaram a conquistar a cidade. Parte da muralha ainda existe. Dentro da muralha uma cidade com cara de interior. Essa foto é de ontem.

19FC8A12D05AC47B3E0B9BEBD88B21E9.jpeg

No pouco tempo que a gente está aqui já deu pra perceber que Chiang Mai é a capital espiritual da Tailândia e também pode-se dizer que é a capital cultural. E hoje tiramos o dia pra ver mais símbolos desse país. Optamos por um táxi privado pra podermos escolher o roteiro e fazermos no nosso tempo. Por 800 bahts faríamos 3 paradas. O carro privado dá a liberdade da gente fazer o que quer, no nosso tempo e com o conforto que a gente merece. Às 9h da manhã o motorista chegou.

Primeira parada: Maesa Elephant Camp. Tem muitos parques na Tailândia em que os animais sofrem maus tratos. Fazem os truques para não serem punidos. E recebem filhotes traficados também. Na região de Chiang Mai existem alguns que tem um tratamento diferenciado com o animal. Maesa tem uma boa reputação no tratamento dos animais e a alta taxa de fertilidade indica que os elefantes são mentalmente e socialmente saudáveis, segundo o site Lonely Planet.

O parque fica a uns 18km do hotel, numa região que tem muito entretenimento para turista. A entrada é salgada, custa 500 bahts. Mas quem tá na chuva é pra se molhar. Isso sem a opção de "passeio" no lombo do bicho. Essa eu não ia fazer mesmo (ainda mais depois que me falaram que um elefante tinha morrido no Camboja depois de carregar turistas num calor de 40 °C). Chegamos na hora que os elefantes se preparavam pra tomar banho de rio. Como não foram todos teve um ali que ficou "dando" abraços de tromba pra quem quisesse chegar (às custas de uma gorjetinha pro treinador, claro). Cada elefante ali tem nome e tem seu treinador. Dali foi divertido ver os bichinhos tomando banho no rio, se jogando na água e jogando água na gente... E os treinadores não perdiam a oportunidade de ganhar uma gorjetinha. Bananas eram vendidas lá dentro pra alimentar os animais.

4CCEDA9CC0D8E17139DE93EB684BB6F6.jpeg180_4CD059C69609D2190D7AE45A02BF1484.jpeg
90_4CD8FD43FD8F306DB8264E69B60D465C.jpeg

Dali, fomos no show dos elefantes. Tem aqueles velhos truques de circo, blablabla. Confesso que aquele troço na mão do treinador me incomodava um pouco. Em que pese não houvesse correntes nos animais, a ideia daquela mini foice machucando o bichinho... Aiai. Eu não vi eles usarem, mas.... Enfim, eles fizeram o showzinho, jogaram bola, mas a parte que eu gostei mesmo foram eles pintando. Gente, saiu cada quadro lindo que se eu não tivesse visto não acreditaria que foi um elefante. No fim, os treinadores correm com os elefantes pra tentar ganhar mais uma tipzinha com alguma foto ou truque. Só não quis ganhar beijo de elefante, haha, mas foi uma experiência diferente.

4CD3F369E44134EB65B29E39B8876CE7.jpeg90_4CD6BFC20C5A529EDB939EAF38FB5AE9.jpeg
4CDC71FDF074DCFA1C6042640B2858F8.jpeg4D23130CE461DC2E1B50E3FCA7E8BF8C.jpeg4CDA3A4990B07E85380D8B01FCA08011.jpeg

Ainda vimos um bebezinho elefante nascido em outubro do ano passado. A parte triste foi ver a mãe acorrentada e inquieta... :-(. Isso eu não gostei, confesso. Faço um mea culpa aqui, afinal, esses elefantes deveriam estar na natureza. Era um sentimento contraditório de querer ver e tocar e ao mesmo tempo concordar que até isso é uma exploração do animal. Ao menos Maesa Camp é um zoológico onde eles são aparentemente bem tratados. Existem uns lugares pra quando você tem mais tempo em Chiang Mai de fazer um tour de dia inteiro com elefantes. Dá banho, alimenta, entra no rio com eles. Enfim, tudo muito solto, mais próximo da vida selvagem. Interessante, mas tem que ter tempo (e um pouco de coragem também).

4CDB540C9B6CF258242D5D9E2D0E1928.jpeg

Saímos dali pra uma experiência diferente (coisa comum na Tailândia, por sinal). Fomos até Baan Tong Luang. É uma vila de tribos eco-agriculturais da montanha. Achei estranho pagar ingresso, a entrada custa 500 bahts. Caro, né? Achava que fosse uma vila simples para dar apenas uma caminhada mas, quando vi que tinha ingresso, caí na real que era algo mais turístico mesmo. Logo que entramos o nosso motorista se materializou lá dentro e serviu de guia. A vila é pequena e dividida em alguns povos. Não vou saber o nome de todos mas, em comum, todos vendiam artesanato ali, usavam suas roupas típicas e as vilas eram realmente muito pobres. Comprei alguns artesanatos, vi que elas faziam os lenços ali na hora. Os lenços feitos à mão eram vendidos por 200 bahts, ou seja, pouco mais de R$20. Achei muito barato, ainda mais sendo fonte de sustento delas. Ju, amiga, comprei uma pulseirinha de elefante pra você.

4D57DD99D72244BF6C17378A7E75EFB5.jpeg4D5B5C1AACB93F10843F740D1EBB4F89.jpeg90_4D5E4441AE9602401645C0A4FDFA2B92.jpeg4D628D90DC92563563B10A43A079C61C.jpeg180_4D6441B8DF8DE1DF5BF0E6FBD8F1CDD9.jpeg

É estranho falar isso mas a última "atração" da vila era o povo Karen. É uma coisa meio estranha porque parece um zoológico humano, entende? Enfim, perguntei pro motorista porque elas usavam aquele negócio no pescoço. Ele respondeu que era porque achavam bonito. Paramos num lugar onde uma mulher usava o "colar" e fiquei chocada com o peso daquilo. Quase cinco quilos! Perguntei pra ela desde quando ela usava o colar. Ela disse que desde os cinco anos. Ela tem hoje 56 anos. Parece que é tradição começar a usar com cinco anos. Já que entrei no zoológico, deixa eu fazer parte dele. Andamos ali mais um pouco e confesso que me dava um pouco de constrangimento de tirar fotos das mulheres girafa, sentimento esse que contrastava com a vontade de ver esse costume de perto.

4D6873A8C192556093BF444043FAFF2A.jpeg90_4D6BA999D299F8060ACBA68D325F95B0.jpeg90_4D6FE1DCDE6E62D5AFE94EC125B92ABE.jpeg4D73D0FCAE53D2DB5FC6AD293C72F5F9.jpeg4D75A165BE35E2C9E589B56E057435F0.jpeg
180_4DAF5F3BF427CB7BBDFF51CEFBDD6B8C.jpeg

Calor infernal, vamos pra próxima missão. Na saída nos deparamos com um homem montado num elefante. Sabe aquelas cenas de interior quando você se depara num homem montado num cavalo? Pois é, foi algo assim.

4D874184C78EFE2A9F2F7A0729C774C2.jpeg

A última parada desse round é o Tiger Kingdom. Esses três lugares ficam numa estrada cheia de coisa pra fazer. Tem de tudo um pouco. Fazenda de cobras, show de crocodilos, de macacos, fazenda de orquídeas, esportes radicais, vixi, um monte de coisa. É só escolher e falar pro motorista. Mas pra gente esses 3 já estava de bom tamanho.

Tinha lido em um blog uma brasileira falando que no Tiger Kingdom os animais não ficam dopados. Eles são treinados mediante recompensa (e não punição). Confesso que isso não me animou muito não. Esse gato é muito grande. Lá os preços são categorizados de pequeno, médio e grande. Nossa coragem nos permitiu ir no mais caro, o newborn. Isso mesmo, o recém nascido, hahahahaha. Gente, quando eu vi os meninos que trabalham lá dando mamadeira bateu um Felícia feelings. Que vontade de apertar aquele gatinho. Pelo macio, muito fofo. O rapaz disse que era uma fêmea de dois meses. Quando eu tirei foto ela estava acordada, já quando a Rosana tirou ela estava dormindo. Depois fomos tirar juntas e teve um momento que ela acordou e levantou a cabeça. Meu, as duas marmanjas deram um pulo de susto, hahahahaha. Ah, o preço saiu por 1000 bahts com direito a uma foto no porta retrato. Cada foto extra era 50 bahts. Sabe o que é isso? R$5,5. Alô você que paga US$29 ou mais por cada foto com golfinho, tipo eu... :-(. Mas a gatinha foi fofa demais....

4DB224BCD67C902BD9374E1DBB354B5B.jpeg4DB3EFA29EE905DA05A6AF976C59DE2E.jpeg4DB53CD8F9DC72411619714EB4E9057F.jpeg

Apesar de que também bateu uma pergunta: cadê a mãe dessa criança? Mais uma vez sentimentos contraditórios. Concordo que esse animal deveria estar com a mãe na natureza mas admito uma imensa vontade de ver de perto. Mas também, como no caso dos elefantes, é um zoológico onde eles são bem tratados. Também não dá pra ser tão eco-xiita. Almoçamos ali no parque mesmo. O buffet saía por 250 bahts. Tentamos chamar o motorista pra almoçar com a gente, mas ele dava uma de mestre dos magos e sumia. Depois de chamar duas vezes desistimos. A comida até que estava gostosa. Por enquanto nenhum problema em relação à famosa comida tailandesa. Pegamos estrada de volta pro hotel. No caminho o motorista pediu licença pra buscar uma pessoa no caminho que iria pro mesmo hotel. Era um californiano que conversou um bom tempo com a gente. Confesso que fiquei feliz em ouvir um idioma que eu conseguia entender...

Chegamos no hotel, passamos pelo processo de resfriamento, haha. Estava cedo ainda. Resolvemos ver o que dava pra fazer ainda hoje. Eram 15h e a gente resolveu ver uns templos perto do hotel. Esse horário era o pior. O sol estava na força máxima. Aqui na cidade antiga tem vários templos e a localização do hotel ajudou muito nisso, até porque andar essa hora era algo muito próximo do insuportável. Logo na esquina perto do hotel tinha um templinho: Wat Phabong.

90_4DCFDB52D7FD0CE4A79751E5020E6BA7.jpeg90_4DD3740DE3B472271E421C3750EC2361.jpeg90_4DD815C90BC0B3CA2E1F4409115DF72A.jpeg90_4DDB69E2C9F1CD7CC8D3B6AAE845A069.jpeg

Um pouco mais a frente ficava o Wat Phra Singh Woramahawihan. Esse templo é muito citado nas dicas do que fazer em Chiang Mai. É um pouco maior que o anterior, tem colunas brancas discretas e um altar bem bonito. A entrada custa 20 bahts pra estrangeiro. Na última foto eu demorei a entender que se tratava de um monge. É o principal templo da cidade antiga.

90_4DDE42B594EA2430B7D4E64D3A22079F.jpeg90_4DE1D08CD35FA10FB830428D24E6EEAB.jpeg
90_4DE3B48BC4EE9C375E99452E34E12296.jpeg90_4DE8087AD41ED5789FFB2FA830A88357.jpeg4DEACACAD37337C17F185B2415033AF2.jpeg

No caminho até o próximo templo fizemos uma parada pra refrescar. Gente, olha como tá ficando fácil o tailandes:

4E2701AAC4027392C8394D4E6F71E67E.jpeg

Terceiro templo e aparentemente o mais imponente da cidade antiga: Wat Chedi Luang Worawihan. Acho que é o templo mais bonito do dia. Desde o teto, lustres, colunas até o altar. Tudo muito lindo. Ao lado tinha um templo menor em que mulheres não eram permitidas. Em torno do templo tinham várias imagens e atrás ruínas de um templo antigo. No complexo funciona também uma universidade budista. Na porta as mesmas regrinhas de comportamento. Neste templo existe um programa chamado "Monk chat". É uma conversa informal com os monges. Eles aprendem um pouco de inglês e você aprende um pouco de budismo. Pode ser algo interessante mas, pelo que eu li em alguns blogs, eles são de conversar pouco, principalmente com mulheres.

90_4E2AAA0EC9529C4F735AADBE6E6E5784.jpeg90_4E2FD1EFED5D55D53AD60399829C2BA2.jpeg90_4E3684DBF862D0E8954726C96A3834F7.jpeg4E3A646C94B1836629897E45D45D7521.jpeg90_4E3C0F46AC0AA8F8920DE05136595A2F.jpeg90_4E3EA6760E00E92B4601A6C189F2C2F0.jpeg90_4E41A07807FD6372B8616B6D71252520.jpeg

Tínhamos parado num estande de massagem tailandesa mas estava cheio. Pediram pra gente voltar em 1h. Eram 17h e estava muito quente. Sugeri voltarmos pro hotel que era perto. Às 18h voltamos lá e as massagistas estavam ocupadas. Mas como tinham dois lugares vazios pediram lra gente esperar deitadas ali. Enquanto esperava conectei num wifi público e fiquei na internet. Bola pra frente porque chegou a hora da massagem. E aperta dali, aperta daqui.... Com o perdão da palavra, mas "saporra" dói pra kct. A hora que ela apertou minha panturrilha eu achei que minha vida iria acabar naquele momento, hahaha. Dramática como sempre.... Hahahaha. Saímos de lá completamente zen. Era só comer alguma coisinha e ir dormir. Ainda encontramos com nosso amigo californiano no meio do caminho. Depois achamos um restaurantezinho perto do hotel (com wifi) e missão cumprida. Dia extremamente produtivo, principalmente pelo pouco tempo que a gente vai ter em Chiang Mai. Os grandes símbolos da Tailândia estão aqui, a vibe aqui é muito boa e a energia positiva é muito forte. Nós vamos embora amanhã à tarde revigoradas, com certeza!

4E944980A6B08D6501477038CB7BD4B5.jpeg

Publicado por Akemi Nomura 15:07 Arquivado em Tailândia Comentários (1)

(Textos 1 - 5 de 236) Página [1] 2 3 4 5 6 7 8 9 10 .. »