Um blog do Travellerspoint

Munique

TERRA DO BAYERN, DA HOFBRÄUHAUS E DA OKTOBERFEST

semi-overcast 16 °C
Visualizar 2010 Europa no mapa de viagens de anomura.

large_Imagem_028.jpg

Talvez Munique seja uma das cidades mais bonitas da Alemanha. Sabe aquela referência de Alemanha que a gente tem no Brasil, como a cidade de Blumenau? É isso que a gente vê em Munique. Aquelas casas e prédios com arquitetura peculiar, florida, bonita...

Mesmo não conhecendo muito da Alemanha pra comparar, é difícil não concordar com a beleza e o charme da cidade. Na Marienplatz, praça central da cidade, entre as abóbadas esverdeadas da Frauenkirsche e as torres pontiagudas da Neues Rathaus (Prefeitura), Munique confirma que nenhuma outra cidade alemã poderia levar o título de mais bonita. A cidade considerada a capital da cerveja tem a festa mais badalada do mundo nesse sentido, a Oktoberfest. A festa que teve origem na comemoração do casamento do Rei Ludwig I da Bavária, em 1810, se espalhou pelo mundo junto com os imigrantes alemães. Em 2010, era a 200ª realização da festa em Munique, a maior do mundo.

O hotel

Os hotéis em Munique são absurdamente mais caros que muitas cidades famosas na Europa. É uma cidade que tem muita convenção, feiras internacionais, festivais, entre outros. É bom buscar um hotel com antecedência, pois os preços tendem a disparar com o com passar do tempo. Especialmente se a idéia for ir à Oktoberfest.

Se quiser um local tranqüilo, fora do centro, mas com fácil acesso ao metrô recomendo o hotel que eu fiquei. Chama-se Hotel Orly (http://www.hotel-orly.de/). É um hotel simples, limpo, organizado, com café da manhã e próximo ao metrô. Por ser fora do centro talvez nas lojas e restaurantes haja uma certa dificuldade de comunicação. Teve um episódio engraçado quando fui almoçar num restaurante próximo ao hotel. À noite tinha o cardápio em inglês, mas no horário do almoço não. Como a garçonete não falava bem inglês, teve que chamar outro garçom para traduzir o cardápio para mim. O atendimento exclusivo me fez deixar uns 4 euros de gorjeta... rsrsrsrs...

O transporte

Munique tem um enorme aeroporto internacional. Mas não sei falar muito sobre ele, pois cheguei de trem vindo da Áustria. Pra quem vem da Áustria e para em Salzburgo, pra chegar a Munique é só pegar o trem alemão que sai de lá (http://www.bahn.de/p/view/index.shtml). Tem duas opções. O trem rápido é 30 euros por pessoa. O trem lento é 30 euros para grupos de até 5 pessoas. Claro que pegamos a segunda opção. Em duas horas estávamos em Munique. O problema da segunda opção é lugar para guardar as malas. Acabamos sendo meio espaçosas, uma pra cada quatro cadeiras. Mas foi só dormir que não ouvimos mais as reclamações dos outros passageiros. Se bem que, como não falávamos alemão, não entendemos nada mesmo... rsrsrsrs.

Para percorrer o centro histórico da cidade é bom fazer a pé. As distâncias são curtas e as ruas são muito agradáveis. Não tem graça conhecer Munique por baixo da terra. Para os lugares mais distantes, o transporte em Munique é muito bom. Existem os bondes (Strassenbahn), os metrôs (U-Bahn) e os trens urbanos (S-Bahn). Compre os bilhetes nas máquinas automáticas e valide nas maquininhas antes de entrar. Não há catracas, e, mesmo que a fiscalização não seja tão intensa, não caia na tentação de passar sem pagar. Temos que apagar essa fama de que brasileiro gosta de levar vantagem em tudo. Existem diversos tipos de tarifas e às vezes comprar por um número x de dias do que pagar por viagem. Ao validar o bilhete na máquina, começam a contar os dias de validade do bilhete.

Onde comer

Se a fome bater sugiro o agradável restaurante Augustinerbräu (Neuhauser Strasse 16), com um menu repleto de pratos típicos, preços aceitáveis e garçons de boa vontade e paciência com quem não fala alemão. O atendimento é um pouco lento, se a fome for grande a paciência curta, talvez você não desfrute com tanto prazer o lugar, então deixe para outro dia.

Ali perto também se encontra a cervejaria mais famosa do mundo, a Hofbräuhaus. Foi fundada em 1589 pelo Duque William V, da Baviera, para evitar ter que comprar cerveja da baixa Saxônia, sendo de uso exclusivo do Duque. Apenas em 1828 a cervejaria foi aberta ao público. Em 1897 o edifício foi refeito quando foi movido para o subúrbio da cidade. Na Segunda Guerra Mundial toda a estrutura da cervejaria foi destruída num bombardeio, porém foi reconstruída em 1958. Em 24 de fevereiro de 1920 Adolf Hitler organizou a primeira das muitas campanhas de publicidade e propaganda do Hofbräuhaus.

large_Imagem_252.jpg

Durante esse evento foi organizada as regras e idéias do partido nazista. Seu cardápio caracteriza os pratos típicos da Baviera, como carne de porco, joelho de porco e vários tipos de salsichas, como a Weisswurst (salsicha branca). O tipo de cerveja mais tradicional é a Helles, servido em um caneco conhecido como Mass, é servida junto com uma cerveja de trigo e com vinho. Sua cerveja é muito conhecida e procurada pelos turistas que visitam Munique. A música típica alemã é tocada sem pausas durante todo o dia. A cervejaria ainda possui um hino próprio, composto em 1935 por Wilhelm 'Wiga' Gabriel e diz "In München steht ein Hofbräuhaus, eins, zwei, g'suffa!" (Aqui no Hofbräuhaus em Monique - um, dois, nós bebemos". Toda a cerveja consumida é produzida pela Staatliches Hofbräuhaus.

Outra cervejaria famosa é a Mathäser Bierstadt (Bayerstrasse 7). Uma opção pra quem tem pressa, comida gostosa, atendimento rápido, preços razoáveis é o Hard Rock Café. Eu sei que foge um pouco do tradicional da Alemanha, mas dependendo do cansaço cai muito bem. O Hard Rock Café fica em frente à Hofbräuhaus. Como estávamos na cidade em período pré Oktoberfest, o Hard Rock Café foi uma boa solução pra quem não conseguiu entrar na Hofbräuhaus. Preciso voltar à Munique pra conhecer essa cervejaria...

A cidade

Comece a desbravar Munique pela região da Marienplatz, o coração de Munique. A Neuhauser Strasse, uma rua exclusiva de pedestres, é perfeita para bater perna. Lojas, restaurantes e aqueles prédios bonitinhos decoram o lugar. Encontre no mapa a igreja chamada Frauenkirsche. Lá está a tumba do Rei Ludwig I da Bavária. É de lei uma visita à cripta e pegar o elevador para ir até o topo das torres para ter uma bela paisagem de Munique. Eu não subi a torre da Frauenkirsche, subi da Peterkirsche. Tinha uma diferença clara, a primeira tinha elevador, a segunda não... rsrsrs...

Na da rua Neuhauser Strasse, rua exclusiva de pedestres, turistas encontram muitos restaurantes e comércio muito diversificado, além de barraquinhas na rua oferecendo desde lanches rápidos até flores etc. Prosseguindo a caminhada chega-se à praça Marienplatz, está o prédio da Neues Hathaus (prefeitura), decorado com estátuas dos reis da Bavária, e pátios internos abertos ao público, onde estão restaurantes e exposições. Este é o verdadeiro coração da cidade, e costuma estar cercado por turistas de todos os cantos.

Voltando à Rua Nuehauser Strasse, vá em direção à Marienplatz. Lá está o famoso prédio da Neues Hathaus (Prefeitura). Decorados com estátuas dos reis da Bavária, dragões escalando suas torres, seu pátio interno é aberto ao público. Na praça é a maior concentração de turistas da cidade.

NEUS RATHAUS (PREFEITURA)

Na foto acima aparece o prédio da Neues Hathaus (prefeitura), o coração de Munique. Todos os dias, centenas de pessoas se reúnem na praça Marienplatz para apreciar o Glockenspiel. Pontualmente as 11, 12 e 17 horas, durante 8 minutos, seus 43 sinos executam um verdadeiro show. Grandes bonecos representando momentos importantes da história da Bavária se movem acompanhado por música, na sua fachada principal. Um dos momentos demonstrados é a celebração do fim da peste que assolou a região em 1517.

PETERKIRSCHE

Quer um pouco de aventura? Procure no mapa próximo a Marienplatz a Igreja de São Pedro, ou Peterkirsche. Suba suas estreitas escadas disputando espaço com quem desce. Depois de meros 306 degraus e muita falta de ar, você terá uma visão única do prédio do Rathaus (Prefeitura). Visão única porque tem que ter coragem para subir seus 306 degraus, facinho, facinho, rsrsrsrs.

DSC01752.jpg Torre de Peterkirsche, uma prova de resistência

NEUSCHWANSTEIN

Um castelo de contos de fada em pleno século 21 e seu nome é Neuschwanstein. Mas esse passeio está descrito em outro post.
http://anomura.travellerspoint.com/6/

OLIMPIAPARK

http://www.olympiapark.de/

Um lugar interessante para se conhecer também é marcado por uma tragédia. O Parque Olímpico de Munique (Olympiapark) foi construído
para os Jogos Olímpicos de Verão de 1972 e é hoje um espaço para o lazer, para a prática de esportes e para a realização de eventos culturais e sociais. Foi aqui que tivemos o prazer e o privilégio de assistir ao show do U2 no dia 15 de setembro de 2010. A organização do show foi impecável. Dois grandes eventos aconteciam na cidade na mesma noite, na mesma região. Além do show no estádio Olímpico acontecia no Allianz Arena o jogo entre Bayern e Roma. E a cidade atendeu perfeitamente esses dois públicos.

Bom, voltando ao Parque Olímpico, seu complexo arquitetônico foi revolucionário para a época. A curiosidade é que foi construído em um monte verde artificial, sobre destroços da segunda guerra mundial. A paisagem cercada de lagos e árvores é semelhante à paisagem natural da Bavária. A história dos Jogos Olímpicos de 1972 está marcada pelo ataque terrorista que, depois de várias tentativas para ser posto termo à ameaça, resultou na morte de onze atletas israelitas que participavam das competições, de cinco terroristas e de um policial alemão.

MUSEU BMW

Aproveite a ida ao Parque Olímpico e visite logo ao lado o Museu da BMW. Parece passeio de menino, mas é bem legal tirar uma onda e entrar numa BMW para tirar foto. Tem umas exibições de moto lá dentro e vários carros lindos.

ALLIANZ ARENA

Um pouquinho afastado, mas necessários aos amantes de futebol, é visitar o Allianz Arena. O estádio que fez parte da Copa de 2006 hoje é casa do Bayern de Munique. É um estádio moderno, clássico. Lá dentro, uma enorme loja vendendo coisas do Bayern, foi a primeira vez que fui à uma loja de esportes e só comprei coisas para mim. O clássico foi o cachecol escrito “Danke Franz”. Viva Beckenbauer!

large_Imagem_022.jpg

A BAVÁRIA

A Bavária ou Baviera, (Bayern em alemão) é um dos lugares mais bonitos que já visitei. As histórias que a envolvem, cercada por lagos, castelos, próxima à Floresta Negra, são ingredientes que me fizeram sair de lá com saudades. A vontade de voltar a Neuschwanstein ainda é grande. Eu vou voltar, logo logo.

Outras dicas

Três passeios que não fiz mas, como vi em blogs, parecem interessantes:

  1. Tire uma manhã para visitar o palácio Nymphenburg, situado a noroeste da cidade. Não fiz esse passeio, preciso voltar para fazer. Para chegar lá basta pegar o Strassenbahn 17, que passa ao lado da estação central. Nymphenburg, construído em 1664, foi a residência de verão dos reis da Bavária (antigamente um território independente, até a unificação da Alemanha). De arquitetura belíssima, entre suas principais atrações estão valiosas telas de mestres da pintura, louças imperiais, uma grande coleção de carruagens e jardins primorosos;
  2. Um nome de triste lembrança, mas que nunca deve ser esquecido por todo o mal que representou é Dachau, a poucos quilômetros de Munique. Outro lugar que não fui e pretendo visitar. Aqui foi construído, em 1933, o primeiro campo de concentração nazista. Libertado pelas tropas aliadas em maio de 1945, o campo foi posteriormente transformado em memorial e local de preces. Esta é uma das visitas mais emocionantes que fizemos na Alemanha, principalmente ao vermos a grande quantidade de jovens estudantes, que levados por seus professores, vão conhecer esta parte triste da história de seu país, para aprender a evitar que, no futuro, algo semelhante jamais possa acontecer. No infame aviso situado na porta de ferro que dava acesso a Dachau lia-se "Arbeit macht Frei", ou seja, O Trabalho liberta;
  3. Um endereço que não pode faltar em sua visita é o Residenz, principal palácio urbano de Munique. Mais de 100 quartos desta residência real estão abertos à visitação. Há também exposições das coroas, jóias e artigos religiosos dos primeiros reis da Bavária. Veja também o Grottenhoff, jardim interno ornado com maravilhosa fonte de bronze. E principalmente não esqueça de visitar o Antiquarium, mais impressionante salão do Residenz, uma biblioteca ornada com bustos de líderes romanos e gregos. Ao lado, imagem do Antiquarium;

Publicado por anomura 29.01.2011 9:25 Arquivado em Alemanha Tagged alemanha munique

Envie por email este textoFacebookStumbleUponRedditDel.icio.usIloho

Índice

Seja o primeiro a incluir um comentário sobre este texto.

Comments on this blog entry are now closed to non-Travellerspoint members. You can still leave a comment if you are a member of Travellerspoint.

Informe abaixo os detalhes da sua conta no Travellerspoint

( O que é isso? )

Se você não é ainda um membro do Travellerspoint, inscreva-se grátis.

Inscreva-se no Travellerspoint