Um blog do Travellerspoint

Cape Town 2

sunny 16 °C
Visualizar 2018 Africa do Sul no mapa de viagens de Akemi Nomura.

Hoje o dia amanheceu mais frio, bem mais frio. Tomamos café e saímos sem pressa. Ponto de início: Robben Island. Robben Island foi onde Nelson Mandela, primeiro presidente da África do Sul pelo voto universal em 1994, esteve preso. A ilha foi inscrita pela UNESCO em 1999 na lista dos lugares que são considerados Patrimônio da Humanidade. Fica aparentemente bem perto da costa, pelo menos vista da Table Mountain. Foi usada por navegadores portugueses e posteriormente holandeses e ingleses como ponto de abastecimento.

O governo do apartheid não foi o primeiro a usar Robben Island como prisão. Nos séculos 17 e 18 os holandeses mandavam presos políticos das Índias Ocidentais. Quando os britânicos tomaram Cape também usaram a ilha pra prender quem resistia às leis. O primeiro a tentar escapar da ilha foi Makanda Nxele. Mas ele não resistiu a travessia a nado. Outros tentaram fazer a travessia mas apenas em 1690 Jan Rykman conseguiu enfrentando água fria, pedras, tubarão.

Na ilha a visita ocorre em duas etapas. A primeira é um passeio de ônibus ao redor da ilha, onde um guia explica todos os detalhes sobre cada local, como a igreja, o hospital, o cemitério, a escola e as prisões. A segunda etapa é um passeio pelo interior de uma das prisões, guiado por um ex-presidiário que relata aos visitantes tudo que acontecia no dia-a-dia da prisão. São trinta minutos pra ir e trinta pra voltar. A visita leva mais 3h. O ticket custa R310 e recomendam comprar com antecedência.

Bom tudo isso e no final a gente não foi. Todos os tours hoje foram cancelados devido ao mal tempo. Mas fica de aviso pra quem vai que o barco sai do Nelson Mandela Gateway e é preciso trazer um documento de identidade. Podemos não ter visitado mas pelo menos a informação do lugar eu tinha, hehe. E quer saber, deu tanta coisa certo pra gente, nosso primeiro drive, as paisagens espetaculares dos cânions, a lua cheia do início da Garden Route, conseguir o mergulho com tubarão de véspera e o dia estar perfeito pra entrar na água, enfim, vamos reclamar do que?

Planos mudados, partiu Kirstenbosch Botanical Garden. O Kirstenbosch é um dos maiores e mais belos jardins botânicos do mundo. Foi o primeiro a apresentar apenas plantas nativas. São mais de 7000 hectares de plantas em seus 36 hectares. A entrada custa R65. A ideia é entrar lá e dar um perdido nas suas trilhas. Andamos bastante, subimos na parte mais alta, passamos pela ponte na copa das árvores. O frio judiou um pouco, com vento e de vez em quando chuva. Mas não chegou a ficar forte e parava até rápido. No fim andamos uns bons 3km dentro do parque e pudemos confirmar o quão bonito é o lugar. São 7000 espécies de plantas de toda África do Sul.

CA2E34D2-59C4-4198-9405-82284691F83E.jpeg5134696B-52F4-4E42-AC45-5CFE592E521F.jpeg7AE0B3DF-9E7C-41DD-BCA5-96971B143A0E.jpegB91A9981-0819-44A3-8006-F5D690486078.jpegB605068D-54B2-4E02-BB3D-E04B49FEBD23.jpeg34D8E7CE-DC0B-43EF-8A06-FB47C1D9AD29.jpeg3B880A64-0EBF-4560-80EF-D794B36FA940.jpegEBC06A71-0100-4FBB-9269-124CC6EAF2D8.jpeg9174614E-D30A-4484-AD3A-5FECE5000CB8.jpegD3BFCFD4-8FD3-4E4F-8569-669C83EB1312.jpegE019071F-CA0A-42BC-9E67-B957B881947A.jpeg24B492A7-6AAF-46BC-A387-410151A867E6.jpeg

Saindo dali demos uma passada de carro pra conhecer Bo-Kaap. Esse bairro fica na encosta de Signal Hill e bem próximo do centro. Eu não sabia, mas Bo-Kaap é declarado patrimônio nacional da Africa do Sul. É conhecido por suas casinhas coloridas. O bairro foi formado inicialmente por escravos trazidos de várias partes da Africa pelos holandeses. Depois vieram os malaios muçulmanos que impuseram sua cultura e religião. Durante o apartheid o bairro era considerado uma favela. Depois do apartheid, os moradores decidiram colorir as fachadas de suas casas para simbolizar a diversidade racial. A cozinha malaia do Cabo é caracterizada pela combinação de produtos locais com especiarias asiáticas. Entre os pratos mais populares são o Bobotie, caril de carne com arroz e ovos e o Waterblommetjie bredie, um guisado de carne de cordeiro.

3FF9E06C-E818-4046-AB65-D0EBC8F3FAA1.jpeg2391F75A-E6FD-4955-B4EC-9AA4C4F480CF.jpegDD0193CE-4763-4126-A832-C3E0D25CC554.jpeg8E01791F-A3D5-4782-A6E6-C0F2BFF26509.jpegAE550B26-EFC4-4F20-8673-14C013AB98CC.jpeg

Dali resolvemos ir na Greenmarket Square. Na saída do estacionamento demos de cara com a St George Cathedral. É a catedral anglicana de Cape Town e um dos principais templos religiosos da cidade.

B21AEE99-AABF-4DCF-BBD1-9533F194289E.jpeg

Greenmarket é uma praça no centro da cidade onde funciona uma feirinha. Sinceramente eu até curto esse tipo de feirinha mas tinha dois problemas pra mim. O primeiro é que as barraquinhas tinham muita coisa, muita informação e tudo muito repetitivo. O segundo é que me incomoda parar pra ver uma coisa e o vendedor ficar me pentelhando, sabe? Eu só queria olhar as coisas em paz. Eu sei que eles precisam vender, estão trabalhando, mas sei lá... me incomoda. E o preços não são convidativos o suficiente, a menos que pechinche. Enfim, mas fomos!

085B7780-F1C3-4FDA-BDD9-6EDAC306DC8E.jpegB7E317A3-B1A5-4408-831C-A791FBFD2B53.jpeg

Depois fomos descendo pela famosa Long Street no centro da cidade. Tem muitas lojas e restaurantes ali, mas tem o movimento de centro de cidade também. Muitos blogs recomendavam o restaurante Mama Africa. Então fomos lá. Eles tem no menu carnes de animais selvagens mas eu fui no bom e velho peixinho mesmo, hehe. Mas mamãe pediu o bobotie. E era bem gostoso viu?

2CFC54FD-D469-4B3B-B9C3-921AD026A22E.jpeg48409B5A-AAAC-4E8B-8A30-CBFD13C78C0C.jpeg

Saímos dali e voltamos pro carro. Como estava cedo resolvemos fazer mais um indoor, o aquário Two Oceans. Voltamos para o Waterfront pois é lá que funciona o aquário. A entrada custa R170. O aquário é bonito e tem uma boa diversidade de espécies mas... já vi melhores. O de Lisboa e o de Sydney são bem melhores e de acordo com os cariocas o do Rio é melhor também. Mas vale complementar a visita no Waterfront com o aquário.

0C06C3E1-67C9-4F50-90BD-387AC8B4A49E.jpegC65A6A20-0BA6-467D-ABB6-A3C3DEF5697F.jpegAE396E5E-AF97-4F13-8189-F91260ECAF6C.jpegE82F9B36-F5BF-4276-95F3-5D7CF2EC36ED.jpegE9EEDCC9-1ECC-4034-BCF8-BB89F45D9D32.jpeg

Quanto aos pinguins africanos que vimos em Boulders Beach é bom frisar:
- É a única espécie de pinguim na Africa
- Só é encontrado na África do Sul e na costa da Namibia
- Hoje só existem algo em torno de 40 mil. Em 1910 era algo em torno de 2 milhões
- Devem estar extintos em até 10 anos

Uma coisa legal aqui é um videozinho que passava um pessoal em uma praia com muita gente na água. De repente gritos de susto e as pessoas saindo correndo da água. Claro que induzia a pensar que era um tubarão. Mas aí aparecia uma pipa boiando e a mensagem de que no ano passado 358 pessoas foram mortas por uma pipa e apenas 4 por um tubarão. É pra pensar...

01547508-1CBA-4703-8504-DDE5E9225EFC.jpeg

Acho que cumprimos nossa missão na Cidade do Cabo. Não lamento tanto não termos ido na Robben Island. Acho que lamento mais não termos conseguido o por do sol em Signal Hill. Tudo bem que vimos vários maravilhosos sendo o top em Gansbaai. Aqui também prometia e como eu me amarro com esse negócio de por do sol, lua cheia, acabo meio frustrada quando não rola. Mas não deu, paciência. Segue o baile porque a viagem não acabou ainda. Passamos no supermercado pra comprar as coisinhas para beliscar a noite e partiu casa arrumar as coisas. Amanhã tem mais.

Publicado por Akemi Nomura 4:17 Arquivado em África do Sul

Envie por email este textoFacebookStumbleUpon

Índice

Seja o primeiro a incluir um comentário sobre este texto.

Comentário com:

Os comentários precisam ser aprovados pelo dono do blog antes de serem mostrados.

Necessário
Não publicado. Necessário
Leave this field empty

Characters remaining:

Informe abaixo os detalhes da sua conta no Travellerspoint

( O que é isso? )

Se você não é ainda um membro do Travellerspoint, inscreva-se grátis.

Inscreva-se no Travellerspoint