Um blog do Travellerspoint

Ferrari Day

sunny 34 °C

Bom dia! Hoje tudo amanheceu funcionando, inclusive o alarme para as 7h da manhã, haha. Como estávamos em quatro num quarto família achei melhor acordar mais cedo pra não dar overbooking no banheiro. Deu tudo certo, tudo no seu tempo. Um pouco depois de 8h30 estávamos tomando café. Antes deixamos as coisas no carro. Depois de tomar café pedimos na recepção para deixar o carro lá e pegar depois e tudo certo. O hotel que nós ficamos era o Planet Hotel. O quarto foi satisfatório (travesseiro nem tanto), café da manhã simples mas com o essencial e a equipe era muito simpática. Escolhi esse por ter estacionamento e ficar no coração do complexo da Ferrari. Entre o departamento de corrida, todo o pátio industrial e em cima da loja. Foi uma imersão no universo da Scuderia.

Fomos andando até a Push Start e coisa de uns 2 minutos estávamos lá, haha. Era muito perto. Entramos na loja e ficamos olhando a lojinha. Conversei com a moça pra ver se minha irmã poderia dirigir a Ferrari também. Minha irmã não ia dirigir mas eu tinha pedido pra ela ir junto com mamãe porque fiquei preocupada com as instruções já que mamãe não fala inglês. No final fizemos um upgrade no delas pra 20 minutos e cada uma dirigiu 10 minutos. E mais tarde eu viria a saber que o instrutor delas falava português... hahaha. Então, eu escolhi a Push Start pelo que eu li no Tripadvisor. E eles me passaram confiança. Direto no site você reserva e adianta o pagamento de 40%. Não é uma coisa muito baratinha mas a gente só vive essa vida, certo? E não leva nada daqui. Anota o site: www.pushstart.it.

095C03B7-D1BB-410C-93A4-D1F8C3524433.jpeg8C5A2CFD-01A9-4EAD-8D5E-8C70271F343F.jpeg

Acertamos os valores que faltavam e pronto! Eu confesso que estava mega ansiosa. Sou muito cagona pra essas coisas, haha. Quando os instrutores chegaram eu fiquei mais ansiosa ainda. Minha irmã já alertou meu instrutor que eu estava nervosa...hahaha. Tava mesmo! Bom, fomos cada um pro seu carro com seu instrutor. Primeiro saiu o Okis com a Ferrari 488. Lindona viu? Ele teve um upgrade porque tinha pago pela 455. Levou a conversível de brinde. E o dia estava lindo pra andar de conversível. Eu, irmã e mamãe fomos de Califórnia. Eu tinha escolhido pra mim a Califórnia porque era conversível mais barata, haha. Não entendo lhufas disso mesmo, qualquer uma tava valendo. Eu tinha convencido mamãe a dirigir a Ferrari e comprei a mesma que a minha pra ela. Bom, continuando, eu fui a segunda com meu instrutor fofo, o Eliseo. E por fim mamãe e Harumi com o Pedro.

Gente, eu ria o tempo inteiro.... de nervoso. Não parava de conversar com o Eliseo. Ele falava inglês muito bem e foi fácil a comunicação. Ele me deixou bem tranquila também. Chegava nos cruzamentos e elefalava com calma. Quando entramos na estrada vinha um caminhão que nem louco e ele disse pra ficar tranquila e ignorar. No final consegui uma “pisadinha” mais forte, mas não faço ideia de quanto cheguei porque não tive coragem de tirar o olho da estrada.... hahaha. Mas acho que dos quatro que dirigiram irmã foi a única que conseguiu passar dos 200 km/h. Mas não foi por falta de coragem de ninguém não (inclusive eu), mas porque como era dia de semana a estrada estava mais movimentada. Vez ou outra era um caminhão que aparecia na frente. E a volta era só de quinze minutos (a minha). Não dava tempo pra muita coisa. Uma dica é para quem for fazer esse test drive é tentar encaixar no roteiro num dia de fim de semana porque a estrada está mais vazia. Mas enfim, foram quinze minutos muito bem aproveitados. Cheguei na Push Start, estacionei e agradeci meu instrutor pela didática e paciência, hehe. Como fui a primeira eu pedi pra ele tirar uma fotinha pra mim. O video vem em pen drive, então vai ficar disponível só quando eu achar um computador.

BD060460-0A8C-42D7-A43C-34E82E8026E4.jpeg
8395C75C-B54E-47B1-B102-6994C260997B.jpeg

Fiquei na entrada esperando os outros dois carros voltarem. Uns minutinhos depois chegou o Okis. Já fotografei a chegada dele no carro. Logo depois chegou mamãe dirigindo e irmã de carona. Mamãe quase sumia no banco, haha. Mas chegou toda boba dirigindo uma Ferrari vermelha conversível em Maranello. Por fim estávamos os quatro compartilhando as experiências do dia. Não eram nem 10h30 e o dia já tinha valido a pena!

AF84EBE4-A04E-4F34-BA0F-9B97513C9EAB.jpegAA8CAD03-776B-4F75-B2F8-363842F69CA8.jpeg2B308633-631A-466A-B757-96C7603F1078.jpeg2069EA55-15C2-4119-BA9B-2E5C3FD5B3E8.jpegFBDA5F54-23FC-41F5-B625-EB32D7898430.jpeg590B01A8-9E8D-4CB6-8F4B-90355809591B.jpegC12AF8E5-F09A-494F-A6AD-B521453C49AE.jpeg3A655A08-F9D1-4BBA-9D8C-300CAF25E0C1.jpeg9B1D85BE-38E7-4420-A42E-FA4684A0010F.jpeg

Dali fomos pro Museu da Ferrari. Existe um museu em Modena também mas, em se tratando de Ferrari, o clássico é Maranello. Andando no museu você vai passando pela história da Scuderia. Volta lá atrás no tempo e vai vendo a evolução dos carros e seus motores até chegar nos modelos tops atuais. O último modelo que é o 488 track você não pode tirar foto. Mas antes de chegar nesse modelo tem a parte dos carros de corrida. Nessa sala também ficam os troféus conquistados pela equipe. Foram 128 de acordo com a contagem da mamãe. E claro os grandes campeões que marcaram a história da equipe. Continuando a visita passamos pela tal 488 track que eu falei antes e chegamos numa parte muito legal, os simuladores. Meu, muito legal! E detalhe, brincadeira de marmanjo viu? Não sei se não podia mas não vi nenhuma criança e/ou adolescente ali não. Um monte de cabeça branca. Eu achei maneiro mas ia pagar muito mico se fosse. Ia gritar, ia bater e não ia conseguir sair, um terror, melhor não... mas era divertido olhar.

DE8AB5F3-002B-4803-83C8-E35CFE39F5C6.jpeg6DD2E676-F289-4BA8-8A41-73E771E104F3.jpegF4BEA890-B610-4FB6-8117-4CBE2EF438B6.jpeg32D129C2-163D-4C70-9419-587A280CD32E.jpeg7D29ED22-D25E-4A7D-A871-065EDA4EC9FF.jpeg757A5FE2-EC18-42A6-A3FF-EEDC53916D8B.jpeg9AB0E374-B792-4E28-9FCF-92B4E7D09F98.jpeglarge_FCBA8105-236E-4F96-8D5E-F3464354F0C9.jpeg8745B0E0-492B-4E7A-90B9-F907E2763133.jpeg7746F1B6-2DF8-4D2D-8D23-7FFCBCD4F40F.jpegB3BE2289-CD41-4B26-9DA4-73374F30C341.jpegC9DDEAE0-41B5-4288-B446-7FC734BC107D.jpegFFBF2937-5444-4EC0-A720-DFFE17B6D595.jpeg89918269-41F8-46DF-AC97-1590D0B4B84A.jpegA9BC82F4-0FD2-4C30-A9FB-AC500347FD1D.jpeg55F2E9C6-574A-4ED6-907C-37F570067C6D.jpegE3563BAD-9210-499F-AB98-F8BD27AF7C9E.jpegE3C9999D-464C-4B88-9DFA-3F2825BD5512.jpeg53C48F4B-F362-4BF1-A518-7C185965B4A9.jpeg0525DB24-262B-4126-BFF7-6974E2C2AF9D.jpegC37445D2-DE41-4803-BDB0-F6C9DE747BFE.jpeg2FF93BFF-FE53-4603-A211-BCBC29216E59.jpegB5B2C001-7750-4B2D-B917-A11266CD7D26.jpegDE22199F-D695-4AAA-976A-E73187849709.jpeg

Saindo dali voltamos na lojinha da Push Start porque eu estava decidida a sair daqui com uma bolsa da Puma/Ferrari. Um mimo de Maranello de mim para mim porque eu mereço, hehe. E fomos almoçar cedo. Eu tinha marcado a visita na fábrica para 13h30 pra fazer tudo sem correria então como tinha tempo o almoço foi antecipado. Mais cedo a gente sai de Maranello. Então estávamos na porta do museu quinze minutos antes. Fomos os primeiros a entrar no ônibus. A visita tinha duas partes: o circuito di Fiorano e a Via Enzo Ferrari.

Em 1972 Enzo Ferrari decidiu ser a hora de equipar a Ferrari com 7ma pista de teste. Decidiram pela área de Fiorano por ser próximo à Ferrari e ser uma área rural que era considerado psicologicamente melhor para pilotos e testadores. A pista tem 3 km e 14 curvas e foi criada com as características de algumas pistas europeias. Tem todo um sistema de telemetria e televisão que coletam dados para os projetistas. Na chegada à pista existe uma estátua erguida em homenagem ao piloto Gilles Villeneuve que morreu em um acidente no circuito de Zolder em 1982. Lá dentro existe apartamentos para os pilotos principais de equipe de F1 quando estão em Maranello. Ali também existe uma praça em homenagem a Michael Schumacher. Não era permitido tirar foto então fica apenas o relato.

A segunda parte é a Via Enzo Ferrari. O complexo da Scuderia é composto para ser uma pequena cidade com sua avenida principal, a via Enzo Ferrari, e as ruas transversais, cada uma com o nome de um piloto campeão pela equipe, exceto Schumacher, que foi homenageado no circuito visitado antes. São 2500 empregados trabalhando ali. A lista de espera por um veículo é longa e a espera é de 8 a 12 meses pelo carro. Achei legal o prédio do túnel de vento. Tem o formato muito legal além dos estudos que são feitos lá dentro. Tem o prédio dos projetistas que foi desenhado com a proposta de um ambiente clean onde favoreceria o processo de criação. A visita é toda dentro do ônibus e não podem ser tiradas fotos também. Entramos pela portaria que eu falei ontem, a primeira e principal onde tudo começou.

Terminado o projeto Ferrari, voltamos pro hotel pegar o carro e partiu Siena. Mas antes uma paradinha pra um gelato porque fazia 34 graus. Um picollo que não mata ninguém. Pegamos um trecho da auto estrada A1 onde deixamos dez euros de pedágio e depois pegamos a estrada pra Siena. Cerca de 2h20 depois estávamos na base da Toscana. Fomos pro apartamento alugado usando o airbnb. Por hoje era só passar no supermercado e pronto! Dia mais que proveitoso.

E1BA873E-B27D-4E39-A044-521ADAD068BB.jpegCEB6A839-1808-4740-85E1-839089D67451.jpeg

Publicado por Akemi Nomura 21:49 Arquivado em Itália

Envie por email este textoFacebookStumbleUpon

Índice

Seja o primeiro a incluir um comentário sobre este texto.

Comentário com:

Os comentários precisam ser aprovados pelo dono do blog antes de serem mostrados.

Necessário
Não publicado. Necessário
Leave this field empty

Characters remaining:

Informe abaixo os detalhes da sua conta no Travellerspoint

( O que é isso? )

Se você não é ainda um membro do Travellerspoint, inscreva-se grátis.

Inscreva-se no Travellerspoint