Um blog do Travellerspoint

Bélgica

Bruxelas - dia 03

07 05 2011

sunny 24 °C
Visualizar 2011 Europa no mapa de viagens de Akemi Nomura.

Acabaram minhas forças. Acordei cedo, antes das 7h, e voltei a dormir. Hoje foi sábado. A cidade a essa hora estava morta, deserta, parada. Nada além de um ventinho frio batendo. A noite anterior foi agradável, sem sentir o frio dos últimos dias. A manhã quieta alimentava um dia quente, movimentado. E foi assim, depois das 11h. Bruxelas estava mais cheia que nos demais dias. As ruas estavam lotadas. Muita gente chegando na cidade. Eu já estava na fase de andar sem mapas pelas ruas principais. Saí disposta a me despedir da cidade da melhor forma, pela gastronomia. E a gastronomia bem básica daqui, batata frita e chocolate.

Primeira parada, fábrica de chocolates da Godiva. Se você vier pra Bruxelas querendo conhecer essa fantástica fábrica de chocolates, esqueça. Não existe tour na fábrica. Você pode ir até a estação Simonis (Leopold II) para tirar uma foto da fachada da fábrica e ir no Outlet da Fábrica. Mas, presta atenção. A loja da fábrica fica aberta de segunda à quinta apenas. Se eu não me engano é das 10h às 18h. Ou seja, dançamos... mas tudo bem, perdemos a batalha mas não perdemos a guerra.

Próximo destino: estação central. Primeira das várias tentativas de comer a famigerada batata frita no cone de papel. Todas as várias tentativas feitas antes do almoço foram frustradas. Entre indas e vindas para ver se a loja abria, acabamos passando lá muito tarde, cansadas e cheias de compras "delicadas". Decidimos voltar pra casa almoçar e depois ir no centro novamente.

A parte das compras foi passar nas lojas de souvenirs comprar lembrancinhas que faltavam e, principalmente, ir nas lojas dos chocolates mais divinos do mundo: Valrhona e Godiva.

Primeira parada: VALRHONA. A loja fica localizada na Grasmarkt. É uma região bem bacana, do lado da Grand Place. Logo depois da Galeria da Rainha, está o toldo preto da Valrhona. A loja é bem bacana. O atendente é super simpático, e arrisca umas palavras em português. De cara já oferece um chocolate para experimentar. Quando se fala em Valrhona se fala em chocolates finos. Pesam no bolso, mas valem na qualidade. Poucas pessoas conhecem essa marca, o que, pra mim, a torna mais especial ainda. Na loja existem vários mostruários para degustação. Não vale a pena perder a pose e sair atacando tudo, mas vale experimentar alguns sabores diferentes antes de comprar.

Segunda parada: GODIVA. Existem várias lojas da Godiva espalhadas pela cidade. Lembro de uma na Grand Place, uma na Galeria da Rainha, uma em frente ao Manneken Pis, uma perto da Igreja Madeleine, a loja da fábrica, e devem ter mais algumas, não lembro. Como estava cedo, fomos andando pelo centro e acabamos parando na loja em frente ao Manneken Pis, que aliás hoje estava vestido. Posso dizer que me esbaldei ali. Chocolate de colher, trufas, bombons, tudo de bom. Acho que gastamos juntas mais de 200 euros em chocolates. Só na Godiva. Não me arrependo de nenhum.

Ah, nem adianta pedir, Godiva e Valrhona eu levo só pra mim, ahahahaha. Mas antes de eu entrar na Godiva cometi um dos pecados gastronômicos de Bruxelas, um waffle de nutella. Posso dizer que não quero ver Nutella de novo por um bom tempo. Não consegui terminar de comer o waffle. Não conseguia mais olhar para a Nutella. Fora a bagunça pra comer aquilo. Olha, fica como dica. Depois de comer um waffle daqueles, se você entrar numa loja de chocolates divinos como a Godiva nem tem vontade de doce. Acaba se contendo nas compras. Eu, por exemplo, só gastei 90 euros em chocolates, rsrsrsrs. Mas 30 eu ganhei, comprados mesmo foram só 60 euros (na Godiva).

No fim do dia não podia faltar a suculenta batatinha frita. Sempre paramos no Grasmarkt, não sei porque nunca fomos em outra. Dali era comprar a batatinha no estilo take away e ir comendo na rua (que estava lotada). Mais uma caminhada pela cidade, mais comprinhas e encomendas de amigos queridos sendo atendidas. Na volta para o apartamento, uma parada em frente ao belo palácio real e direto pra casa, arrumar as malas e se preparar pro vôo durante o domingo.

CONCLUSÃO

Quer um conselho? Vá, se jogue no mundo. Isso abre sua mente, você passa a dar mais valor ao que tem e aprende com o que não tem. Vá conhecer tudo de ruim que um ser humano pode fazer a outro em Sachsenhausen. Ou vá ver o que de belo um ser humano pode fazer nos campos de tulipas de Keukenhof. Vá conhecer o "bom humor" dos alemães e sentir saudades dos brasileiros. Vá comer batata frita belga todo dia e sentir saudades de um belo prato de arroz e feijão. O bem maior que você adquire de uma viagem ninguém nunca mais pode tirar de você.

Como diria Milton Nascimento: "Coisa que gosto é poder partir sem ter planos. Melhor ainda é poder voltar quando quero".

Publicado por Akemi Nomura 14:25 Arquivado em Bélgica Tagged brussels Comentários (1)

Bruges ou Brugge

05 05 2011

sunny 19 °C
Visualizar 2011 Europa no mapa de viagens de Akemi Nomura.

Continuando o roteiro do dia seguimos com a excursão de Gent até Brugge. Brugge tem uma estrutura muito boa, com restaurantes, lojas de souvenirs, chocolates e uma arquitetura belíssima. A idéia aqui era caminhar também.

Recomendo em Brugge o passeio de barco. É outra perspectiva da cidade. O próprio guia reserva pra você ou então caminhe pela cidade em busca de um barquinho que te leve a passeio pela cidade, cruzando as diversas pontes repletas de turistas.

Brugge está situada na região conhecida como Flandres. Suas ruas, prédios e canais são quase como uma viagem de volta no tempo até a Europa medieval. É um convite irresistível. Conhecida por Bruges, em francês, ou Brugge, em flamenco, o nome não importa. O fato que esta cidade é uma unanimidade como o principal centro turístico da Bélgica.

Caminhe bastante pelas ruelas da cidade. Passe pelo lago do amor, pelo monastério, pela igreja que tem a única Madonna de Michelangelo fora
da Itália. Procure pela Grand Place, uma imensa praça no centro da cidade repleta de lojinhas e restaurantes. As diversas torres que a cercam são um espetáculo a parte.

Brugge pode ser uma cidade pequena, mas entre suas ruelas estreitas, sob telhados vermelhos e à sombra de suas torres medievais estão tesouros em cada esquina, prontos para serem descobertos por turistas à procura de um lugar especial.

DSC02058.jpg

Publicado por Akemi Nomura 11:36 Arquivado em Bélgica Tagged brugge bruges Comentários (0)

Gent ou Ghent

05 05 2011

sunny 18 °C
Visualizar 2011 Europa no mapa de viagens de Akemi Nomura.

Gent é uma cidade que fica cerca de 1h de carro de Bruxelas. Uma cidade de 240 mil habitantes que prosperou entre os séculos 13 e 14 graças ao comércio de tecidos. Primeiro ponto positivo, estão bem preparados pra atender o turista. Arriscam até umas palavras em português (claro que pra eles é muito mais fácil continuar a conversa em espanhol).

No centro de Bruxelas existem várias empresas que oferecem tour para Gent e Brugge. Se não estiver a fim de pensar muito, é só escolher um tour desses e ir. Se tiver disposição, vá até a estação central de trem, de lá partem trens a cada 30 minutos para Brugge. Para Gent então, deve ser o mesmo trem.

A cidade é pequena, uma manhã é suficiente para conhecê-la. Cidade oferece uma variedade de lugares interessantes. O legal mesmo é caminhar pelas ruas medievais da cidade. Parece uma viagem no tempo. A catedral no centro é belíssima. Foi o único lugar que eu entrei, nos demais, foi só caminhar pela cidade mesmo. Mas Gent oferece diversos castelos medievais, museus, conventos, etc.

O nosso guia era especial, falava dez línguas e arriscava um português de vez em quando. Apesar do meu ódio mortal de guias, esse eu gostei, recomendo. Fica a dica do Brussels City Tour no centro da cidade, do lado do Centro de informações ao turista, na frente da deliciosa loja da Valrhona.

DSC01882.jpg

Publicado por Akemi Nomura 11:32 Arquivado em Bélgica Tagged gent Comentários (0)

Bruxelas - dia 02

04 05 2011

sunny 11 °C
Visualizar 2011 Europa no mapa de viagens de Akemi Nomura.

Tenho que admitir uma coisa, Bruxelas está me surpreendendo, positivamente. É um misto de França, Holanda e Alemanha, num mesmo lugar. Bruxelas parece uma torre de Babel. O país fala 3 línguas diferentes: francês, flamengo (holandês mais puro que o da Holanda) e o alemão (em pequena parte do país). Mas para mim ninguém me convence do contrário que aqui se fala “belgiquês”. É um jeito muito peculiar de falar várias línguas em uma frase só. Venha à Bélgica que você vai me dar razão.

Vamos ao que interessa. O dia hoje foi bem movimentado. Acordei super cedo e já liguei a internet, maldito vício. O plano era dia típico de turista: city tour naqueles ônibus vermelhinhos que tem em tudo que é cidade importante no mundo. Com o bilhete comprado de véspera, fomos até a Praça do Rei esperar o ônibus.

PARLAMENTO EUROPEU

Primeira parada, Parlamento Europeu. Confesso que foi meio frustrante. Demos de cara com uma manifestação das vaquinhas. Isso mesmo, não entendi nada além de um monte de vaquinhas pintadas com as cores das várias bandeiras dos países da comunidade européia. Mas como Bruxelas hoje é a capital da Europa, vale a pena dar uma olhadinha nesse centro de poder.

IMG_6317.jpg

ATOMIUM

É o símbolo da Bruxelas moderna. Construído em 1958 para a Feira Mundial de Bruxelas, representa um átomo de cristal de ferro. Honestamente é um lugar em que não se acrescenta muito numa viagem. Eu acho dispensável, mas como já tinham me falado isso e mesmo assim eu fui, deixo como opção de lugar para ir pelo menos uma vez na vida (e nunca mais voltar).

IMG_6328.jpg

GRAND PLACE

Esse sim é o lugar. Uma praça movimentadíssima no centro de Bruxelas, cercada por edifícios cujas arquiteturas duelam pra ver qual é a mais bela. Tirando a arquitetura diferente dos edifícios, é um estilo meio parecido com a Praça da Cidade Velha de Praga. É um lugar bem bonito, com vários restaurantes maravilhosos, várias lojas de chocolates, claro, e super animado. No canto da praça tem uma estátua onde as pessoas passam a mão, provavelmente pedindo proteção ou sorte. Eu ainda não descobri, ainda mais com essa fusão de idiomas falados aqui.

C_pia_de_DSC01705.jpg

MANNEKEN PIS FOUNTAIN

O Manneken Pis Foutain é uma fonte com uma pequena estátua de bronze de um garoto fazendo xixi. Isso mesmo, você entendeu bem. Essa estátua data de 1619, e é repleta de lendas em torno dela. A inspiração para a famosa estátua continua desconhecida, mas é fato que quem vai a Bruxelas e não vê o Manneken Pis é o mesmo de ir ao Rio de Janeiro e não ver o Cristo Redentor. Quer um incentivo? Do outro lado da rua tem uma loja da Godiva. Precisa falar mais?

IMG_6394.jpg

PARQUE DO CINQUENTENÁRIO

Voltando ao ônibus do city tour, fomos conhecer o Parque do Cinquentenário e o belo Arco do Triunfo belga. Esse Arco do triunfo foi construído para homenagear os 50 anos de independência belga, por iniciativa do rei Leopoldo II. O belíssimo portão se parece com o portão de Brandemburgo, tendo na sua frente um imenso parque. Talvez o parque colabore para que o portão seja mais bonito do que o de Berlim.

DSC01761.jpg

BAIRRO DE SABLON

Próximo ao apartamento está o bairro de Sablon. É o bairro boêmio de Bruxelas, com restaurantes, mercados, lojas de antiguidades e chocolates artesanais (claro). A igreja de Sablon tem uma bela arquitetura que não deixa a dever em nada às igrejas francesas e italianas. Do outro lado da rua, o pequeno jardim de Sablon completa a paisagem.

Além da igreja e do jardim, na mesma rua (Rue de La Régence), caminhando a partir da Praça Real, dá pra conhecer belíssimos prédios como o Rekenhof, o Museu de Belas Artes, o Conservatório de Música, a Sinagoga e terminando no Palácio de Justiça, situado na Praça Louise.

DSC01832.jpg

LOUISE SQUARE

A Praça Luisa, ou Place Louise, é a região elegante de Bruxelas. Várias lojas de luxo começam a surgir dali. Na praça está o imenso edifício do Palácio de Justiça. A fachada deve ser muito bonita, mas como estava em reforma, estava cheia de andaime na frente. Recorri a lateral do prédio para ter uma idéia da arquitetura e garanto, é linda. Da praça é possível ter uma visão panorâmica da cidade. É legal, mas nada surpreendente.

DSC01845.jpg

GRASMARKT

Eu gostei mesmo de um lugarzinho chamado Grasmarkt. É bem movimentado, bem alegre, com bastante opção de restaurante, a deliciosa batatinha em cone e a maravilhosa loja da Valrhona. Sim, meus dois pecados na Bélgica, batata frita e chocolate. São os melhores do mundo, inquestionáveis. Se gula é pecado, eu pequei sim, sem remorso nenhum!!!!

DSC01806.jpg

Publicado por Akemi Nomura 15:10 Arquivado em Bélgica Tagged brussels Comentários (0)

Bruxelas - dia 01

03 05 2011

sunny 16 °C
Visualizar 2011 Europa no mapa de viagens de Akemi Nomura.

Rumo à terra do chocolate e da batata frita. A saga começou em Amsterdã, acordando às 7h30 (um pouco depois do previsto) e arrastando as malas pelas ruas pra pegar o tram 2. Nem foi tão difícil assim. Descemos na Amsterdam Centraal (esse povo holandês gosta de repetir letras) e já fui pra plataforma esperar o trem. Estava bem frio.

Partimos rumo a Bruxelas de trem. Fomos pela Thalys (http://www.thalys.com), a plataforma de saída é a 14A. Gostei bastante de viajar por essa empresa. O trem é confortável e tem internet wi fi a bordo. Claro que na segunda classe é paga, mas pra distrair durante a viagem e ter o prazer de mandar um e-mail do trem, é bem legal.

HOSPEDAGEM

Em Bruxelas decidimos ficar em um apartamento. Bem localizado, ficamos em um apartamento de dois quartos acomodando 5 pessoas. Reservei pelo http://www.booking.com. Chegando a Bruxelas, pegamos um táxi para o escritório do ApartmentsApart (http://www.apartmentsapart.com/Europe/Belgium/Brussels) pra pegar a chave. Lá a gente paga na hora, o que eu acho bom porque o dinheiro restante a gente gasta, rs.

Recomendo fortemente ficar em um apartamento, o preço foi mais em conta, ficamos muito bem instalados, local privilegiado e com boa infra-estrutura. O único porém, que realmente tenho que ressaltar, é que o apartamento fica no terceiro andar e não tem escada. É, isso foi f***. Mas mesmo assim fiquei satisfeita. O apartamento é muito bom e o atendimento no escritório foi melhor ainda. Já saímos de lá com toda informação necessária, mapa na mão e com táxi reservado pra nos levar ao aeroporto.

EXPLORANDO

Chegando ao apartamento começamos as descobertas. Primeiro dentro do próprio apartamento. Os quartos, os banheiros, a cozinha, tudo era uma incógnita. E leva um tempo pra descobrir como fazer a casa funcionar.

Depois, a região, com planos no papel do que fazer, tínhamos que fazer as coisas funcionarem. Então, fomos em busca de um centro de informações turísticas. Fica bem do lado da Grand-Place. Confie no mapa que é fácil chegar. O coração de Bruxelas está naquela praça. De cara já não resisti à tentação e fui no cone de batata frita e na trufa de chocolate.

large_DSC01629.jpg

Decidido os planos dos próximos dias, fomos fazer o reconhecimento do território e sacar dinheiro. Dado o tardar do dia, a idéia era ir ao supermercado abastecer a geladeira pros próximos dias. Pra isso, nada como um Carrefour perto de casa.

OBJETIVO DE AMANHÃ

Explorar Bruxelas de um jeito bem de turista: Hop on - Hop off (http://www.city-sightseeing.com/).

Publicado por Akemi Nomura 13:33 Arquivado em Bélgica Tagged brussels Comentários (0)

(Textos 1 - 5 de 5) Página [1]