Um blog do Travellerspoint

Textos sobre fussen

Füssen

O MAIS PRÓXIMO QUE PODE SE CHEGAR DE UM CONTO DE FADAS

semi-overcast 13 °C
Visualizar 2010 Europa no mapa de viagens de Akemi Nomura.

large_Imagem_002.jpg

Füssen é uma cidade de conto de fadas. Acho que um dos lugares mais bonitos que eu já visitei. Uma mistura do que eu mais gosto: natureza e história. Como se não bastasse ter uma vista privilegiada dos Alpes suíços e casas que mais parecem de bonecas, o lugarejo abriga dois dos mais importantes castelos construídos no século XIX: Hohenschwangau e Neuschwanstein.

SCHLOSS HOHENSCHWANGAU

large_DSC01766.jpg

O Schloss Hohenschwangau foi residência de infância do Rei Ludwig II da Baviera. Foi construído pelo seu pai, o Rei Maximiliano II da Baviera.

O Schloss Hohenschwangau foi construído sobre os restos da fortaleza Schwanstein, que é mencionada pela primeira vez em registros históricos datados do século XII. Uma família de cavaleiros (dinastia Staufen) foi responsável pela construção da fortaleza medieval. Eles possuíam um castelo na região (uma construção rústica em pedra), que nada tinha a ver com o que hoje vemos neste lugar. No século 16, com o fim da dinastia Staufen, o lugar foi abandonado, e em pouco tempo existiam apenas ruínas naquele lugar.

Na época que Napoleão invadiu a Baviera, o local ficou ainda mais danificado. Porém sua localização estratégica ainda o tornava atraente. Em 1829, o Príncipe da Coroa Maximiliano descobriu o lugar e, atraído pela beleza da área em torno do lugar, adquiriu apropriedade em 1832. No ano seguinte, iniciou-se a construção do palácio que durou até 1837.

A intenção de Maximilian II (futuro pai de Ludwig II) era transferir a corte de Munique para Baviera. Fato que não chegou a se concretizar, porém, Hohenschwagau tornou-se a residência de verão e de caça da Família Imperial. Foi neste castelo que Ludwig (mais tarde Rei Ludwig II), filho do imperador, passou a maior parte de sua infância. O Rei Maximilian e sua esposa Maria da Prússia ficavam alojados no edifício principal. Os dois jvens príncipes ficavam no edifício anexo.

Em 1864 falece o Rei Maximilian, sucedendo-o ao trono seu filho Ludwig II, mudando assim para os aposentos do pai no palácio. Sua mãe tinha permissão de viver no seu andar pois Ludwig nunca chegou a se casar. O Rei Ludwig gostava de viver em Hohenschwangau, principalmente quando começou a construir seu próprio palácio, o Castelo de Neuschwanstein, em 1869.

Quatorze salas de Hohenschwagau estão atualmente abertas à visitação, dentre as quais destacam-se a Capela, Sala de Bilhar, Sala do Cisne Real (antiga sala de refeições), Sala dos Heróis (o ambiente tem esse nome devido às pinturas retratando a epopéia dos guerreiros Wilkina no século 13), aposentos particulares da imperatriz, Sala dos Hohenstaufen (influente dinastia da história alemã), e Sala dos Cavaleiros.

Nesta época, teve início a forte influência de Richard Wagner na vida do Rei Ludwig II. O músico era freqüente convidado da família imperial. E suas obras influenciaram diretamente a construção de vários cômodos do castelo de Neuschwanstein.

O castelo de Hohenschwagau é um exemplo belo e bem conservado de uma época importante da Alemanha, bem como do estilo de vida da corte de Bavária. Infelizmente ele vive à sombra de seu vizinho Neuschwanstein, não desfrutando do reconhecimento turístico que merece.

SCHLOSS NEUSCHWANSTEIN

large_DSC00850.jpg

O Castelo de Neuschwanstein é o palácio dos sonhos de todo conto de fadas. Foi construído na segunda metade do século XIX, a poucos quilômetros da fronteira com a Áustria. A inspiração para o castelo veio da obra do grande amigo e protegido do rei Ludwig II, o compositor Richard Wagner. O nome Neuschwanstein significa "novo cisne de pedra", uma referência ao "cavaleiro do Cisne", Lohengrin, da ópera com o mesmo nome.

Destaca-se em uma montanha no meio da Floresta Negra, Neuschwanstein é um dos edifícios mais fotografados da Alemanha e um dos mais populares destinos turísticos europeus, além de ser cartão postal do país. Sua fama se espalhou mais ainda mundo afora após ser considerado fonte de inspiração para Walt Disney construir o Castelo da Cinderela no Parque americano.

Em 31 de maio de 1868, Ludwig II escreveu para Richard Wagner o que esperava do castelo a ser construído:
"É minha intenção reconstruir a ruína do velho castelo em Hohenschwangau, próximo do Desfiladeiro de Pollat, no verdadeiro espírito dos velhos castelos dos cavaleiros alemães (...) a localização é a mais bela que alguém pode encontrar, sagrada e inacessível, um templo digno para o divino amigo que trouxe a salvação e a verdadeira benção ao mundo."

O Rei Ludwig II tinha necessidade de construir uma obra própria, algo romântico, glorioso, diferente dos outros castelos. O local escolhido para a construção era rodeado pelas montanhas, pinheiros e próximo ao lago Alpsee. Era tradicionalmente um centro de poder, tinha status real, além de já ter abrigado outros castelos na época medieval.

Em 5 de setembro de 1869 foi dado início às obras de Neuschwanstein. De Hohenschwangau Ludwig observava sua obra se erguendo. Insatisfeito pela distância, ordenou a construção de aposentos para ele na própria obra, antes mesmo da sua conclusão, para assim poder acompanhar mais de perto seu maior sonho. Apenas em 1873, após a conclusão dos apartamentos reais sobre a torre de entrada, e a mudança do rei para o local, a obra pode prosseguir no restante do castelo.

large_DSC00849.jpg
PANORÂMICA DE NEUSCHWANSTEIN FEITA DA MARIENBRÜCKE, SOBRE O DESFILADEIRO DE POLLAT

O sonho de Ludwig foi virando devaneio. Trabalhou seus desenhos com um designer de palco ao invés de um arquiteto, explodiu o pico de uma montanha para posicionar o castelo, usou uma ópera de Wagner como inspiração para cada canto do castelo. Só a cobertura da cama do quarto do rei levou quatro anos para ser feita. Uma das salas do castelo é possível observar mais de uma centena de cisnes desenhados em suas paredes.

A extravagância romântica de Ludwig é visível em todos os lugares: colunas esculpidas de forma a lembrar palmeiras, um estúdio real onde o único tecido usado é a seda bordada a mão, o chão feito de 2,5 milhões de peças de mármore e um candelabro brilhante que pesa aproximadamente uma tonelada - isso sem falar da gruta artificial com estalactites e uma grande cascata. As janelas do castelo enquadram paisagens como às das páginas de um livro de histórias completo, com florestas, lagos cobertos por névoa e picos maravilhosos.

Na construção do Castelo de Neuschwanstein, Ludwig gastou uma fortuna - do seu bolso e do Estado. Foi o estopim para seus ministros o declararem insano e o tirarem do trono. Poucos dias depois de ser deposto do trono, Ludwig e seu médico particular foram encontrados afogados em um lago ao norte de Füssen. Não se sabe ainda como se deu a morte dos dois, é mais uma história guardada nas montanhas de Floresta Negra onde vivem ainda os sonhos românticos de Ludwig concretizados em seu castelo.

OPINIÃO:

É um passeio imperdível. Não é necessário se hospedar em Füssen, dada a proximidade com Munique. De Munique é possível pegar um grupo de turismo ou ir por conta. Eu recomendo fortemente ir por conta, os guias não são muito gentis. Vá o mais cedo possível e aproveite o dia inteiro lá. De trem são duas horas. Outra opção é ir de carro. Os ingressos são comprados na pequena cidade ainda, veja bem o horário que vai comprar, pois a ida até o castelo é demorada.

Não deixe de ir ao lago próximo, o Alpsee. Tem uma vista fantástica, com seus cisnes enfeitando a paisagem. Ao fundo, as montanhas dividem Alemanha e Áustria.
Imagem_032.jpg Imagem_024.jpg Imagem_027.jpg

Para ir até o castelo existem duas opções: a charrete que custa 6 euros ou a caminhada pela Floresta Negra. A caminhada é linda, mas super hiper cansativa. Se optar pela caminhada tenha certeza de que terá tempo o suficiente para subir com calma e chegar lá inteiro. Parece que tem uma opção de ir de ônibus até perto da Marienbrücke, depois é só descida. Mas nós não chegamos a cogitar essa possibilidade.

Na entrada do castelo tem um painel com o número do grupo que está sendo liberado para a visita, e os grupos são chamados no horário marcado, pontualmente. A partir daí, você é direcionado pra parte interior do castelo onde não é possível tirar fotos. Cada grupo é conduzido por uma guia do castelo que explica detalhes dos vários cômodos abertos à visitação.

Chamo atenção para gruta construída dentro do castelo, o sistema de levar água do rio para o quarto do Rei, a cama cuja cobertura levou quatro anos para ser feita e, principalmente, a sala do trono. Construída em estilo de igreja, a sala tem um imenso lustre no meio e um detalhe peculiar, não têm trono. A razão para isso é que Ludwig teria sido encontrado morto antes da conclusão do castelo, inclusive antes da colocação de um trono.

Depois do castelo vale à pena encarar a subida até Marienbrücke, uma ponte construída sobre o Desfiladeiro de Pollat, de onde é possível ver o mais belo ângulo de Neuschwanstein. Claro que além da disposição de subir mais 20 minutos, requer a coragem para chegar até o meio da ponte de piso de madeira e alta pra caramba. Mas vale encarar a subida e ignorar a altura, porque com certeza é uma das paisagens mais belas da Alemanha.

Na descida, opte por sair do caminho normal de subida e se embrenhe pela trilha no meio da Floresta Negra. É mais agradável e divertido. Mas cuidado pra não se perder... As trilhas estreitas passando por cima do rio assustam um pouco. A água do rio é limpa e gelada, pra sede da caminhada é uma mão na roda.

Publicado por Akemi Nomura 13:47 Arquivado em Alemanha Tagged germany neuschwanstein fussen hohenshwangau Comentários (0)

(Textos 1 - 1 de 1) Página [1]