Um blog do Travellerspoint

Textos sobre italia

Florença

BERÇO DO RENASCIMENTO ITALIANO

sunny 26 °C
Visualizar 2009 Italia no mapa de viagens de Akemi Nomura.

Florença é capital da arte. Obras de grandes artistas podem ser vistas lá. É uma cidade muito bonita, para muitos, uma das mais bonitas do mundo. É super agradável andar por suas ruas antigas, diversas lojinhas, feirinhas, gelaterias, piazzas...

large_DSC02591.jpg

O HOTEL

Ficamos no Hotel Orto di Medici, perto da Piazza di San Marco. Desta praça dá pra pegar o ônibus caso o cansaço já seja grande, mas dá pra fazer muita coisa andando também. A diária em quarto triplo saiu por 165 euros. O café da manhã tinha Nutella.
http://www.ortodeimedici.it/

ONDE COMER

Bom, isso foi um problema, não lembro em ter comido em um lugar legal em Florença. Mas fica uma sugestão, não se aventure em comidas estranhas, experimentar coisas diferentes pode ser até legal, mas também pode estragar parte da sua viagem se não tiver preparado(a) para o resultado. #ficaadica

A CIDADE

Santa Croce

A igreja de Santa Croce tem deslumbrantes afrescos e lá estão também os túmulos de fiorentinos famosos. Nada menos que Maquiavel, Galileu e Michelângelo. É, o pessoal daqui não era de brincadeira não. Infelizmente peguei a igreja fechada; Depois de conhecer a Itália e me apaixonar pelas obras de Michelângelo, o mínimo que eu queria era visitar seu túmulo para, de certa forma, agradecer por deixar tamanha herança.

Piazzale Michelangelo

Construídas nas encostas da colina sul de Florença, sua vista é privilegiada. No horizonte da cidade se destaca o imenso Duomo da cidade. De lá também é possível ver a famosa ponte Vecchio, o Palazzo Vecchio, a Santa Croce, e, mais do que tudo, uma panorâmica geral de uma autêntica cidade italiana.

Duomo de Santa Maria Del Fiore

O Duomo de Florença é a quarta maior igreja da Europa, se eu não estiver errada. Claro, como toda cidade italiana, tinha em frente o Batistério e do lado o Campanário. A porta leste do Batistério são dez painéis que representam o velho testamento e foi feita com técnicas de perspectivas para que os painéis dessem uma idéia de profundidade. Michelângelo se referiu a esta obra como Portões do Paraíso, e assim ficou conhecida até hoje. A porta norte, levou 21 anos para ser feita. São 28 painéis do Novo Testamento, sendo que as estátuas de bronze acima das portas foram feitas com a assistência de Leonardo da Vinci.

O Duomo de Florença hoje é resultado de um trabalho que levou mais de 6 séculos. A fachada é ricamente decorada com um trabalho de mosaico em mármores coloridos em estilo neogótico. As portas de bronze da entrada foram terminadas em 1903. Uma pena não ter visitado o interior da catedral. A empolgação por ficar tirando fotos de vários ângulos da fachada fez a gente perder a hora e o acesso foi fechado. Pra quem não der esse vacilo, é possível subir até a imensa cúpula para ver a cidade lá de cima.

Piazza della Signoria

Esta piazza é o coração da vida social da cidade. É um verdadeiro museu a céu aberto. Uma volta pela praça já dá pra ver estátuas como a Fontana de Netuno, O rapto das Sabinas, a estátua de Perseu e a impressionante réplica do Davi de Michelângelo. A Piazza também é cercada por lojas e restaurantes, a hora de comprar a lembrancinha é aqui e agora.

Ponte Vecchio

A Ponte Vecchio é a mais famosa das pontes que cruzam o rio Arno. Foi construída em 1345 e atrai turistas tanto pela vista que proporciona, quanto por seus antiquários e joalherias. Algumas curiosidades sobre a ponte:

  • Dizem que a Ponte não foi danificada durante a II Guerra por ordem direta de Hitler;
  • Diz-se que a palavra bancarrota teve ali origem. Quando um mercador não conseguia pagar as dívidas, a mesa (banco) era quebrada (rotto) pelos soldados. Essa prática era chamada bancorotto.
  • Já houve a tradição de se deixar cadeados trancados em torno da estátua de Benvenuto Cellini. Vinha da antiga ideia do amor e dos amantes: ao trancar o cadeado e lançar a chave ao rio, os amantes tornavam-se eternamente ligados. Mas o fato de danificar a ponte fez que com autoridades estipulassem multas de 50 euros para quem fosse pego em flagrante deixando cadeados na ponte.

DICAS GERAIS

  1. Recomendo fortemente comprar o ingresso da Uffizzi com antecedência pela internet, ou pode encarar 2h de fila como eu encarei. Aproveite e já compre o da Galleria dell´Academia, afinal, ir à Florença e não ver o Davi é o mesmo de ir ao Rio e não ver o Cristo. http://www.florenceart.it/booking/?google-uffizi-gallery-tickets
  2. Dependendo do cansaço vale à pena ir à Piazza Michelangelo de táxi. É uma boa subida até lá. O táxi até lá saiu por 12 euros e estávamos em 3. Vá no fim da tarde e espere até anoitecer. Leve uma blusa de frio porque quando o sol de põe...
  3. Outro fim de tarde legal é ficar em uma das pontes com vista pra Ponte Vecchio, as fotos noturnas ficam bem bacanas.
  4. Não se esqueça de passar na Fontana Dell Porcellino, colocar a mão no focinho e jogar a moeda.
  5. Duomo – fecha pouco depois das 17h, então primeiro visite o Duomo depois tire as fotos externas, não faça como eu...

DSC00687.jpg O impressionante Davi, de Michelângelo (Galleria della Academia)

Publicado por Akemi Nomura 10:44 Arquivado em Itália Tagged italia florença Comentários (0)

Verona

CIDADE DE ROMEU E JULIETA

rain 24 °C
Visualizar 2009 Italia no mapa de viagens de Akemi Nomura.

large_DSC03163.jpg

Verona é uma cidade muito bonita, como Florença. Cidade de Romeu e Julieta. Cidade com um encanto singular. É a segunda maior cidade do Vêneto e uma das mais prósperas da Itália. Seu centro histórico cercado de vários palácios e os muros que cercavam a antiga cidade medieval dão uma idéia bem legal do que foi Verona no passado. A partir de Veneza, em 1h de trem você chega a Verona.

A cidade é pequena, dá para fazer tudo a pé. A praça onde fica a Arena é o ponto de encontro, o “centro nervoso” da cidade. Tem desde lojinhas de bugigangas às lojas Louis Vuitton. A imagem cultivada de “cidade de Romeu e Julieta” atrai muitos corações românticos a Verona, uma das cidades mais procuradas da Itália. E eles só têm a ganhar, pois Verona é linda e seu centro, cortado pelas águas verdes do rio Adige, é um lugar super agradável para passear. Ao passear pela cidade, experimente seus deliciosos gelatos, maravilhosos como em toda Itália.

Ao chegar à estação de trem, pegue um mapa (ou compre) e vá explorar a cidade. Se o cansaço estiver batendo forte, pegue um táxi até a Piazza delle Erbe. Senão, são apenas 2 km até a Arena. Faça sua escolha e comece e explorar Verona:

DSC03148.jpg DSC03192.jpg DSC03206.jpg

Piazza delle Erbe

Aqui ficava o antigo Fórum Romano de Verona. A Piazza guarda esse nome do antigo mercado de ervas da cidade. Hoje, as barracas vendem desde sanduíches de pernil temperados a frutas frescas. Os prédios ao redor da Piazza são uma atração a parte. Pode-se ver desde o estilo barroco aos afrescos nas paredes.

Casa de Giulietta

Verona faz questão de manter a história como real. A partir da Piazza delle Erbe pegue a Via Cappello e vá caminhando prestando atenção do lado esquerdo. Não tem erro porque a rua começa na Piazza Erbe. Você vai encontrar uma pequena entrada que leva a qual seria a casa de Giulietta Capuleto. Logo na entrada, a passagem para o pátio interno que tem a entrada da casa é coberta de bilhetes deixados pelos turistas com juras de amor.

Lá dentro, no pátio, está a sacada construída no século XIII, na casa que pertenceu à família Cappellos. Logo abaixo da sacada há uma estátua de Julieta. Uma lenda diz que para ter sorte no amor, as pessoas devem passar a mão no seio direito da estátua. De tanto os turistas passarem a mão, o seio direito da estátua está praticamente dourado, contrastando com a cor escura da estátua de bronze.

A época retratada na história rixas entre famílias eram comuns. Portanto, pode ser que uma história como essa tenha acontecido, não com um Romeu ou uma Julieta. Mas com outros personagens da vida real que tenham baseado a história inicial.

Luigi Da Porto foi um escritor e historiador italiano, mais conhecido como o autor da novela que continha a história de Romeu e Julieta, a “Historia novellamente ritrovata di due nobili amanti” ("História atualizada de dois nobres amantes"), Mais tarde aproveitada por William Shakespeare em sua famosa tragédia, intitulada Romeu e Julieta.

Museu di Castelvecchio

Imponente castelo construído por Cangrande II às margens do rio Adige, abriga atualmente uma das mais belas galerias de arte do Vêneto. No exterior, uma passarela oferece vistas do rio Adige, a ponte Scaligero.

Ponte Scaligero

Essa ponte que cruza o rio Adige é um dos pontos turísticos de Verona. Sua construção remete ao passado medieval da cidade. Fica logo ao lado do Castelvecchio. Uma vista da cidade entre as arcadas da ponte é um momento especial.

Arena de Verona

Terceiro maior anfiteatro ainda existente na Itália, a arena foi construída no século I d.C., tem 152 metros de comprimento por 123 metros de largura. Arena era o nome dado aos lugares de chão de areia onde ocorriam espetáculos e combates na época do Império Romano. Hoje, os espetáculos se resumem aos shows e outros espetáculos da era moderna que ocorrem em Verona e atraem turistas estrangeiros e italianos.

Publicado por Akemi Nomura 16:28 Arquivado em Itália Tagged verona italy italia Comentários (0)

Roma - sugestão de roteiro

ROTEIRO DETALHADO PARA 4 DIAS

sunny 28 °C
Visualizar 2009 Italia no mapa de viagens de Akemi Nomura.

Sugestão de roteiro para 4 dias

1º dia

Dia: Campo de Fiori, Piazza Navona, Pantheon, Igreja de Santo Ignácio, Templo de Adriano, Palacio Montecitorio, Piazza Colonna, Via Del Corso, Fontana di Trevi

Uma das áreas mais pitorescas da cidade desde a Roma medieval, o Campo de Fiori tem de dia um mercado e de noite bares e restaurantes que unem italianos e turistas. Essa praça já foi local de execuções, no centro da praça há a estátua de Giordano Bruno, filósofo, morto na fogueira condenado por heresia.

A Piazza Navona é a mais célebre praça de Roma. Depois de Assistir “Anjos e Demônios” você tem mais vontade de conhecer. É onde fica a embaixada brasileira em um prédio belíssimo. No centro da praça está a Fontana di Quattro Fiumi.
A igreja de Santo Ignácio está no centro velho de Roma. Tenha os mapas sempre em mãos porque é fácil se perder naquelas ruelas. A atração dessa igreja é o teto ilusionista. A pintura em 3D impressiona.

O templo de Adriano, a Piazza Colona, o Palácio Montecirorio e a via Del Corso estão no caminho da Fontana di Trevi. O templo de Adriano foi construído em homenagem ao imperador e hoje não é nada mais do que a fachada da Bolsa de Valores. Na Piazza Colona fica o Palácio Chigi, residência oficial do primeiro ministro. A coluna no centro foi construída em homenagem ao Imperador Marco Aurélio. O Palácio de Montecitorio foi originalmente desenhado por Bernini. O obelisco ao centro fazia parte de um relógio de sol trazido do Egito pelo imperador Augusto. A via Del Corso é o centro de compras de Roma. Todo tipo de loja se encontra lá.

Fontana di Trevi... uma tração à parte. As esculturas são belíssimas. No centro Zeus domando dois cavalos, um manso e um rebelde. Eles representam os oceanos, mar calmo e mar agitado. A Fontana di Trevi marca o ponto final do Acqua Vergine, um dos mais antigos aquedutos que abastecia a cidade de Roma. Foi também cenário do ponto alto do filme “La Dolce Vita”.

Noite: Mesmo percurso para ver o roteiro iluminado

2º dia

Manhã: Campidoglio, Altare della Pátria, Coliseu e Palatino (Fórum Romano)

Estando bem localizado você consegue chegar ao Coliseu a pé. Antes de chegar ao Coliseu passe pelo Campidoglio (uma das sete colinas de Roma) onde hoje se encontra a prefeitura e uma praça projetada por Michelângelo. No lado do prédio, no sentido do Fórum Romano você vai ver a estátua da loba amamentando Rômulo e Remo. Não sei se original ou réplica, muito menos sei quem fez, mas que é famosa é. Ali também tem a Igreja de Santa Maria In Aracoeli, onde já foi o templo de Juno.

Pegando a avenida principal você vai passar na frente do Altare della Pátria, monumento construído em homenagem ao rei Vittorio Emanuele, primeiro rei da Itália unificada.

Logo depois você já vai ter a visão do Coliseu em frente, Fórum Romano à direita e Mercado de Trajano à esquerda. Não perca muito tempo com foto, você vai passar por dentro do Fórum Romano quando entrar no Palatino. Vá direto ao Coliseu e, se tiver o Roma Pass, procure a fila exclusiva, você ganha quase uma hora na brincadeira.

Falar o quê do Coliseu? Parada obrigatória em Roma? Símbolo do antigo império que dominou o mundo e permanece em pé até hoje? Uma célebre frase já define o Coliseu: “Enquanto o Coliseu se mantiver de pé, Roma permanecerá; quando o Coliseu ruir, Roma ruirá e quando Roma cair, o mundo cairá.”.

A entrada do Palatino está logo na saída do Coliseu. O Roma Pass já te dá entrada direta. É uma das sete colinas de Roma, onde se acredita que Rômulo tenha fundado a cidade no século 8 aC. Foi residência dos imperadores romanos por mais de 400 anos. Caminhando ali por dentro explore o Fórum Romano, centro nervoso do império antigo. Vá com calma, vá com um guia (livro), é muito canto com história para conhecer.

Tarde: Bocca de La Veritá, Circo Massimo e Termas de Caracalla

A Bocca de La Veritá, ou Boca da verdade, fica no pátio de uma igreja ortodoxa, esse eu não me engano. Tem uma pequena fila pra tirar a foto. É doar 1 euro e tem um cara lá tirando pra você. Não dá pra ficar muito tempo porque a fila é grande. A história da Boca é antiga, os maridos obrigavam as esposas a colocarem a mão na boca da figura para saberem se estavam sendo traídos. Dizia-se na época que caso mentissem a mão era decepada.

Circo Massimo era onde os romanos organizavam manifestações espetaculares como as corridas de bigas e quadrigas. Hoje não é nada mais que um descampado onde os romanos atuais usam para comemorações.

As Termas de Caracalla foram construídas entre 212 e 217 dC durante o governo do imperador Cararacalla. Grande parte de sua estrutura ainda se encontra preservada. As termas podiam acolher mais de 1500 usuários simultâneos. Havia banhos com água fria, morna e quente. Para os mais abastados o ritual terminava com massagem com óleos aromáticos.

3º dia

Manhã: Piazza della Republica, Basílica Santa Maria degli Angeli, Santa Maria della Vittoria, Santa Maria Maggiore

O colunato semicircular da Praça da República corresponde à forma das termas de Diocleciano aqui construídas. A Fontana delle Naiadi no centro da praça foi construída em 1885. Aqui também fica a igreja Santa Maria degli Angeli, construída por Michelângelo sobre as ruínas das antigas termas.

As igrejas Santa Maria della Vittoria e Santa Maria Maggiore são próximas. A primeira é pequena e fica numa rua lateral à Praça da República. É uma igreja em estilo barroco muito linda. A grande atração dessa igreja é o monumento chamado “Êxtase de Santa Tereza”, feita por Bernini. Quem viu “Anjos e Demônios” entende o que eu quero dizer. A segunda é imensa, foi construída entre 432 e 440 dC, durante o pontificado do Papa Sisto II, e de dedicada ao culto de Maria. Se você estiver numa praça e achar que a igreja está fechada, cuidado, você pode estar na parte de trás de igreja.

Tarde: Castel Sant´Angelo e Trastevere

O Castel Sant´Angelo já foi mausoléu, instalação militar e fortaleza dos papas. A sua atual designação remonta ao ano de 590, durante uma epidemia de peste que assolou Roma. Na ocasião, o Papa Gregório I afirmou ter visto o anjo Miguel sobre o topo do castelo, que desembanhava sua espada, indicando o fim da epidemia. Do seu terraço superior tem-se a magnífica vista da cidade eterna. Não esqueça de localizar a passagem secreta que o papa usou para fugir quando o Vaticano foi invadido.

Trastevere é o bairro da diversão. Na parte de trás do rio Tevere é possível passear, fazer uma boa refeição, tomar um bom gelato e fazer compras até altas horas da noite.

4º dia

Manhã: Museu do Vaticano

Os Museus Vaticanos constituem um conglomerado de renomadas instituições culturais da Santa Sé, que abrigam extensas e valiosas coleções de arte e antigüidades colecionadas ao longo dos séculos pelos diversos pontífices romanos. Além destas instituições relativamente independentes entre si, das quais algumas possuem também sub-seções mais ou menos autônomas, os Museus Vaticanos supervisionam uma série de outros espaços dentro dos palácios da cidade do Vaticano, como galerias e capelas, que por si mesmos guardam alto interesse arquitetônico, histórico e artístico. O ponto alto sem dúvida é a Capela Sistina, ache um canto e aprecie a história contada por Michelângelo no teto da Capela, desde o velho testamento até o Juízo Final. E não se esqueça de comprar o ingresso com antecedência pela internet, porque senão a fila é longa. O site está no outro arquivo.

Tarde: Basílica de São Pedro

A Basílica de São Pedro é uma Basílica no Estado do Vaticano, tratando-se da maior das igrejas do cristianismo e um dos locais cristãos mais visitados. Cobre um área de 23.000m² e pode albergar mais de 60 mil devotos. É o edifício com o interior mais proeminente do Vaticano, sendo sua cúpula uma característica dominante do horizonte de Roma, sendo adornada com 340 estátuas de santos, mártires e anjos. Situada na Praça de São Pedro, sua construção recebeu contribuições de alguns dos maiores artistas da história da humanidade, tais como Bramante, Michelângelo, Rafael e Bernini.

Foi provado que sob o altar da basílica está enterrado São Pedro (de onde provém o nome da basílica) um dos doze apóstolos de Jesus e o primeiro Papa e, portanto, o primeiro na linha da sucessão papal. Por esta razão, muitos Papas, começando com os primeiros, têm sido enterrados neste local. Sempre existiu um templo dedicado a São Pedro em seu túmulo, inicialmente extremamente simples, com o passar do tempo, os devotos foram aumentando o santuário, culminando na atual basílica. A construção do atual edifício sobre o antigo começou em 18 de abril de 1506 e foi concluído em 18 de novembro de 1626, sendo consagrada imediatamente pelo Papa Urbano VIII. A basílica é um famoso local de peregrinação, por suas funções litúrgicas e associações históricas. Como trabalho de arquitetura, é considerado o maior edifício de seu período artístico.

É possível visitar a cúpula da Basílica como também onde estão enterrados os papas no subsolo. O túmulo de João Paulo II é um dos mais procurados, portanto não é possível parar na frente nem tirar fotos, tem 5 seguranças em volta. O túmulo é simples com uma rosa dourada, muito bonito e traz uma paz muito grande. Dentro da basílica estão os corpos de dois papas mumificados.

Espere anoitecer para ver a basílica à noite. Enquanto isso, procure na praça uma inscrição no chão escrito em latim “centro do colunato”. Você vai ter a prova da geometria perfeita na construção das colunas da praça. Ao ficar em pé naquele ponto e olhar para as colunas, você verá que as três fileiras de colunas estão perfeitamente alinhadas.

Publicado por Akemi Nomura 14:33 Arquivado em Itália Tagged roma 4 italia roteiro dias Comentários (0)

Pisa

Torre de Pisa

sunny 25 °C
Visualizar 2009 Italia no mapa de viagens de Akemi Nomura.

Tem certeza que vai pra Pisa? Se o tempo for curto, não vá. Não tem nada lá além da torre. A cidade é muito pequena e com poucas opções. Além do mais a Itália tem muita coisa pra oferecer, Pisa é pouco perto do resto. Bom, se quiser conhecer pra tirar aquela foto clássica tudo bem, mas não vale à pena dormir lá. Faça bate e volta de Florença, é o suficiente. Em 1h15 no trem comum dá pra chegar lá. 30 minutos andando da estação até a torre. A primeira vista da torre é impressionante. A inclinação da torre é absurda. Só estando lá para ver. A foto abaixo dá pra ter uma idéia da diferença.

large_DSC02634.jpg

Quanto à foto clássica, que dá a ilusão de você estar segurando a torre, já aviso de ante mão, dá trabalho. No começo todo mundo fica tímido de tentar tirar, mas é só chegar umas brasileiras cara de pau que todo mundo vai no embalo. Quando você vê várias pessoas tentando tirar a foto é até engraçado, parece aula de tai chi chuan.

Se você chegou até Pisa, achou a praça do Duomo, não se concentre na torre apenas. O Duomo é muito bonito, se o dia ajudar então é garantia de belas fotos. A praça ao redor também é bem interessante. Sendo Pisa uma antiga e pequena cidade medieval, o muro em volta faz você imaginar a cidade naquela época.

Quanto à torre, em setembro de 2009 estava aberta para visitação. Porém para subir é necessário comprar o ingresso com antecedência. Na hora é praticamente impossível. Deve ser uma sensação estranha, tipo "balança mais não cai".

Tá bom, tá bom, apesar das poucas atrações eu não me arrependo de ter ido a Pisa. A torre é clássica, faz parte do roteiro, faz parte da Itália. E não iria embora feliz com a sensação de que faltou alguma coisa...

Publicado por Akemi Nomura 15:08 Arquivado em Itália Tagged italy pisa torre italia Comentários (0)

Milão

A Metrópole do norte da Itália

sunny 23 °C
Visualizar 2009 Italia no mapa de viagens de Akemi Nomura.

large_DSC03435.jpg

Mais ativa do que atraente, Milão é uma cidade moderna. Contrasta com o resto da Itália. Mas vale conhecer. Não tive muito tempo pra conhecer Milão. Aliás, minha ida até lá foi provocada pela idéia de visitar uma das obras mais famosas do mundo: a Santa Ceia. Nesse pouco tempo tive a chance de conhecer uma das mais belas catedrais do mundo, o Duomo de Milão. A praça fica lotada durante o dia e durante a noite. É cercada de restaurantes e lojas, além da deslumbrante Galleria Vittorio Emanuelle com suas lojas Dior, Prada, Louis Vuitton, etc.

large_DSC03364.jpg

Pra quem gosta de castelos uma volta pelo Castelo Sforzesco é de lei. É muito gostoso andar por ali, onde os milaneses fazem caminhadas, corridas, ou simplesmente vão passear, ou ler um livro. Pra ele, locais, é uma paisagem comum. Pra nós, turistas, é uma paisagem rica em aprendizado.

Para os amantes do futebol Milão é a cidade. Abriga dois dos maiores clubes da Itália, a Internazionale e o Milan. Ambos tem como palco o estádio de San Siro, que recebe visitantes todos os dias em que não tem jogo. É fácil chegar lá de bonde, pena que eu não consegui ir. Foi meu dia ruim, precisava me resguardar pra voltar pra Roma.

HOTEL

Fiquei hospedada no hotel Domenichino. O hotel fica bem localizado, perto do metrô e do bonde. Tem café da manhã e a diária no quarto individual custou 50 euros. Tranqüilo, boa vizinhança, limpo. Perto do Estádio de San Siro (de bonde).
http://www.hoteldomenichino.com/pt/

DICAS GERAIS

1. Muito cuidado em Milão, redobrado na estação de trem. Tem muito roubo por lá. Documentos importantes, dinheiro e cartões sempre junto ao corpo, mochila virada pra frente. Cuidado em Milão!

2. Visite a Piazza Del Duomo de dia e de noite. É perfeito! A Galleria Vittorio Emanuelle também.

3. Com bastante antecedência, de dois meses para mais, é possível reservar um ingresso pela internet para visitar uma das obras mais famosas do mundo: a Santa Ceia. Se não for possível reservar pela internet, uma alternativa é ligar para o telefone +39 02 92800360. Normalmente tem vários horários disponíveis que já estão indisponíveis no site. O valor total são 8 euros;
http://www.cenacolovinciano.org

4. Perto da Igreja Santa Maria della Grazzie fica o Castel Sforzesco. Pra quem gosta de castelo vale dar uma voltinha por ali.

5. Existem visitas guiadas ao estádio de San Siro. Informações no site:
http://www.sansirotour.com/english/index.html

Publicado por Akemi Nomura 14:47 Arquivado em Itália Tagged italy milan italia milão Comentários (0)

(Textos 1 - 5 de 6) Página [1] 2 » Próximo